Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Libertação de Lula pode virar Brasil ‘de cabeça para baixo’, diz NYT

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 6 dias atrás Da Redação
O jornal The New York Times afirma © The New York Times/Reprodução O jornal The New York Times afirma

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi solto nesta sexta-feira, 8, após 580 dias preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, e a notícia foi destaque nos principais veículos da imprensa internacional. Para o jornal americano The New York Times, sua libertação pode “virar de cabeça para baixo a política brasileira, colocando-o como um rival ardente de esquerda do presidente Jair Bolsonaro”. 

Com a manchete “Ex-presidente ‘Lula’ foi libertado da prisão no Brasil após decisão do Supremo Tribunal”, o Times também alerta que esta é “uma decisão com implicações de longo alcance em casos de corrupção” no Brasil.

Já o argentino El Clarín abre a matéria com uma ressalva: “Sair da prisão agora não significa o fim dos problemas judiciais para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.

Listando alguns dos casos pelos quais o ex-presidente é investigado, como o sítio em Atibaia, envolvimento do Instituto Lula com pagamentos a empreiteiras e repasses ilegais aos filhos, a matéria ressalta que os problemas de Lula estão só começando.

Matéria publicada pelo jornal El Clarín: ‘As outras causas de corrupção que Lula da Silva ainda deve enfrentar’ – 8/10/2019 © El Clarín/Reprodução Matéria publicada pelo jornal El Clarín: ‘As outras causas de corrupção que Lula da Silva ainda deve enfrentar’ – 8/10/2019

Enquanto isso, o jornal italiano La Reppublica afirmou que Lula é “o homem mais temido pelo atual chefe de Estado” Jair Bolsonaro.

Na Itália, o jornal La Repubblica, escreve ‘Lula é livre, a Justiça aceita o pedido da defesa’ e traz citação do político italiano Paolo Gentiloni, que chama Lula de ‘um grande presidente’ – 8/11/2019 © La Reppublica/Reprodução Na Itália, o jornal La Repubblica, escreve ‘Lula é livre, a Justiça aceita o pedido da defesa’ e traz citação do político italiano Paolo Gentiloni, que chama Lula de ‘um grande presidente’ – 8/11/2019

O veículo também destaca que a primeira coisa que o ex-presidente disse que queria fazer, libertado da prisão, é se casar novamente: “ele está apaixonado”. Lula namora com a socióloga Rosangela da Silva. 

Já o jornal britânico The Guardian traçou o histórico da Lava Jato, dando destaque à figura do atual Ministro da Justiça, Sérgio Moro, responsável pela sentença de Lula, a quem descreve como um “juiz controverso”.

Para o Guardian, quando Bolsonaro fez de Moro seu ministro da Justiça, “aumentou o sentimento de injustiça” dos apoiadores do ex-presidente.

O jornal britânico The Guardian diz que Lula ‘caminha livre da prisão após decisão da Suprema Corte’ – 8/11/2019 © The Guardian/Reprodução O jornal britânico The Guardian diz que Lula ‘caminha livre da prisão após decisão da Suprema Corte’ – 8/11/2019

O jornal também escreve que, mesmo na prisão, Lula “lançou uma longa sombra sobre o debate político no Brasil – mas sua libertação provavelmente só aumentará as divisões políticas”.

O espanhol El País também alerta para a polarização no país: “Lula, e colateralmente o Partido dos Trabalhadores, é a questão que mais divide seus compatriotas, é amado ou odiado. Não deixa ninguém indiferente”.

O espanhol El País relembra que a soltura de Lula está associada à decisão do Supremo de quinta-feira 7 que ‘condenados só serão presos quando em trânsito julgado’ – 8/11/2019 © El País/Reprodução O espanhol El País relembra que a soltura de Lula está associada à decisão do Supremo de quinta-feira 7 que ‘condenados só serão presos quando em trânsito julgado’ – 8/11/2019

Chamando a decisão do juiz federal Danilo Pereira Jr, da 12ª Vara Federal de Curitiba, de “iminente”, afirmou que a libertação de Lula proporciona uma “repercussão política imensa”.

O francês Le Monde destacou a “verdadeira maré vermelha de militantes de esquerda” que acolheu Lula em frente a sede da PF em Curitiba após sua libertação nesta sexta. 

“Lula, 74 anos, saiu a pé, sorrindo ao lado de sua companheira, a socióloga Rosângela da Silva, beijando calorosamente simpatizantes e cumprimentando a multidão com um punho levantado”, diz a reportagem. 

– © Le Monde/Reprodução

O jornal americano The Washington Post afirmou que o ex-presidente manteve “enorme influência sobre a América Latina por décadas”. A publicação afirmou ainda que as alegações feitas contra a Lava Jato e seus procuradores, acusados de agir injustamente no processo de Lula, criaram “ondas de choque político em um país amargamente dividido por sua prisão”.

– © The Washington Post/Reprodução

Para a emissora americana CNN, Lula ainda é visto como “o líder da esquerda no Brasil e uma das maiores vozes da oposição contra Bolsonaro”.

– © CNN/Reprodução

A emissora britânica BBC lembrou que Lula governou o Brasil entre 2003 e 2010, mas “se mantém popular”.

“Lula será impedido de concorrer ao cargo [de presidente] por sua ficha criminal”, diz a reportagem no site da emissora. “Ele sempre negou todas as acusações e afirma que elas são politicamente motivadas”.

– © BBC/Reprodução

Já o site do jornal alemão Die Welt conta como a decisão do Supremo Tribunal Federal de derrubar a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância influenciou o caso do ex-presidente. “Seus advogados solicitaram prontamente a libertação de Lula após o veredicto de quinta-feira”, diz a reportagem.

“Além de Lula, podem ser libertados pelo veredicto do Supremo Tribunal Federal milhares de prisioneiros” em todo o país, diz o Die Welt.

– © Die Welt/Reprodução

_____________________________

Vídeo: Janaína Paschoal: 'Bolsonaro cria conflitos onde não precisa' (TV Cultura)

A SEGUIR
A SEGUIR

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon