Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Queiroz repudia repercussão de vídeo em que aparece dançando em hospital

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 13/01/2019 Poder360
O ex-assessor Fabrício Queiroz (dir.) com o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) © Reprodução O ex-assessor Fabrício Queiroz (dir.) com o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)

No sábado (12.jan.2019), o ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)  gravou 1 vídeo em que se diz “revoltado” com a repercussão do vídeo em que aparece dançando no Hospital Albert Eistein.

No vídeo, o antigo funcionário de Flávio Bolsonaro aparece dançando, em meio a gargalhadas, quando a filha diz: “Agora é vídeo, pai! Pega teu amigo, pega teu amigo!”. Ele rodopia em seguida, fazendo um sinal de positivo com as mãos.

Segundo Fabrício de Queiroz, foram “5 segundos que quis dar de alegria a uma tristeza que tomava conta dentro da enfermaria em que eu me encontrava“, disse na gravação.

Repetir vídeo

Em nota divulgada no sábado (12.jan), a defesa de Queiroz afirmou que o vídeo foi feito em 1 “raro momento de descontração na visita deles no [hospital] Albert Einstein.”

O advogado de Queiroz, Paulo Klein, afirmou que “ele passaria por uma grande cirurgia nas horas seguintes, inclusive com risco de morte”, e destacou que as imagens teriam sido gravadas no dia 31 de dezembro à meia noite, quando se comemora o Ano Novo.

Foi feito dentro do contexto humanamente compreensível, pois trata-se de uma data comemorada universalmente”, disse.

A gravação foi feita por uma das filhas de Queiroz e viralizou nas redes sociais. Sua autenticidade foi comprovada com pessoas próximas ao ex-assessor.

Ausência em depoimentos

Depois de cair no crivo do Coaf, Queiroz faltou duas vezes a depoimentos marcados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, alegando motivos de saúde. Antes de Paulo Klein assumir a sua defesa no caso, Queiroz havia faltado a outros 2 depoimentos, alegando que não havia tido acesso aos autos da investigação.

Apesar de ter faltado aos depoimentos, Queiroz concedeu entrevista à jornalista Débora Bergamasco. A gravação foi exibida pelo SBT nesta 4ª (26.dez). Nela, Queiroz afirmou que parte da movimentação de R$ 1,2 milhão em sua conta deve-se à venda e compra de automóveis.

Foi a 1ª vez que o ex-assessor do filho de Jair Bolsonaro falou publicamente sobre o caso. Queiroz negou que fosse 1 funcionário fantasma ou que fizesse repasses de verbas de assessores para deputados.

___________________________________________________________

Veja as notícias mais importantes do dia no seu celular com o app Microsoft Notícias. Disponível para iOS e Android. Baixe agora.

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon