Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Cabelo dói? Entenda a tricodínia – ou dor e desconforto no couro cabeludo

Logotipo do(a) M de Mulher M de Mulher 14/09/2018 Raquel Drehmer
Tricodínia – dores no couro cabeludo © Thinkstock Tricodínia – dores no couro cabeludo

Por ser uma área cheia de terminações nervosas, o couro cabeludo é sensível. Em algumas pessoas, BEM sensível: há quem sinta pequenos incômodos quando fios de cabelo caem ao serem escovados, por exemplo. Em outras, a sensibilidade só se manifesta se houver algo mais grave, como uma inflamação, em curso.

Em todos os casos, a dor e/ou o desconforto no couro cabeludo atendem tecnicamente pelo nome de tricodínia.

Conversamos com os dermatologistas Erick Omar, especializado em tricologia (a área da medicina dedicada ao couro cabeludo), e Adriano Almeida, diretor da Sociedade Brasileira do Cabelo, para entender direitinho este assunto.

Quais são as causas clínicas da tricodínia?

A causa mais simples é a queda de cabelos que mencionamos acima.

Também entram neste combo casos mais preocupantes. São doenças como a dermatite seborreica (caspa) e a alopecia areata (doença autoimune que causa queda drástica de cabelos) e infecções e inflamações como lúpus (doença autoimune em que o sistema imunológico ataca seus próprios tecidos), líquen plano pilar (um tipo de alopecia), foliculites (infecções dos bulbos capilares, os populares pelos encravados) e tíneas do couro cabeludo (infecções causadas por fungos).

Hábitos cotidianos com os cabelos x tricodínia

Além disso, nossos hábitos do dia a dia podem causar dor e desconforto no couro cabeludo.

Algo tão corriqueiro quanto secar os cabelos com secador pode levar a uma inflamação da pele sob os fios. O mesmo vale para o uso de chapinhas e baby liss muito próximos das raízes dos cabelos.

Produtos químicos, como tinturas, podem inflamar e até queimar o couro cabeludo – por isso é importante testá-los antes de aplicá-los para valer. A indicação de como fazer isso sempre vem explicada na embalagem do produto.

O que fazer ao perceber que algo está incomodando no couro cabeludo?

A primeira atitude é marcar uma consulta com um dermatologista especializado em couro cabeludo – o tricologista.

Enquanto a consulta não chega, você pode fazer algumas coisas em casa e no cotidiano para amenizar ou não agravar o problema:

– Mantenha a higiene do couro cabeludo lavando os cabelos com xampus sem sal;

– Por mais leve que seja o condicionador, mantenha-o longe das raízes dos cabelos;

– Não use cremes de tratamento até passar pela consulta com o médico;

– Deixe os cabelos secarem naturalmente depois da lavagem, sem uso de secador ou de modeladores (chapinha ou baby liss);

– Não faça rabos-de-cavalo ou coques, para evitar a tração dos fios;

– Não tinja os cabelos;

– Não durma com os cabelos presos.

E, muito importante, não adie o tratamento por achar que “uma coceirinha é normal”. Incômodo nenhum é normal.

Todos os casos de tricodínia têm cura?

Sim, todos eles.

Via de regra, o tratamento é tópico (ou seja, externo), com loções não alcoólicas para evitar o risco de reações alérgicas.

Quando o problema é associado a uma doença como alopecia ou lúpus, é necessário tratar a causa e a consequência paralelamente. Aí entram medicamentos orais de acordo com o caso.

__________

Mais de M de Mulher

image beaconimage beaconimage beacon