Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Doenças autoimunes sinalizam agressão contra si mesmo

Logotipo do(a) Personare Personare 16/03/2017 Marcelo Guerra
Doenças autoimunes sinalizam agressão contra si mesmo © Istockphoto Doenças autoimunes sinalizam agressão contra si mesmo

As doenças autoimunes são as mais difíceis de tratar. Geralmente a medicina convencional obtém algum controle ou retarda um pouco a sua evolução, mas não há cura. São doenças que estão se tornando cada vez mais frequentes.

Exemplos de doenças autoimunes:

  • Tireoidite de Hashimoto (a causa mais comum de hipotireoidismo)
  • Psoríase
  • Diabetes tipo I (juvenil)
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Artrite reumatoide
  • Esclerodermia

Ainda não há conclusões científicas sobre a origem dessas doenças, mas há algo curioso sobre elas. A função de nosso sistema imunológico é responder quando um microrganismo (bactérias, vírus, fungos) ou um alergeno (como poeira) invade o corpo. Ele envia células de defesa e anticorpos para a região invadida, causando uma inflamação.

Numa doença autoimune, o sistema imunológico deixa de reconhecer algumas células de nosso próprio corpo como sendo nossas, passa a considerá-las como invasoras e as ataca, causando também inflamação.

Assim como os problemas, inflamações se resolvem por crise ou relaxamento

Classicamente, a fisiologia diz que uma inflamação se resolve por crise (decisão, julgamento) ou por lise (relaxamento, dissolução). O significado dessas palavras permite que façamos uma analogia com essas doenças e até busquemos uma solução que vai além do uso de medicamentos. Basta fazer associações com suas dificuldades na vida, no que diz respeito a decidir, julgar ou relaxar.

Por exemplo:

Se essas podem realmente ser causas de doenças autoimunes, só o futuro trará a resposta - se trouxer. O fato é que reconhecer, diante de cada situação, se é preciso decidir sobre ela ou simplesmente relaxar, pode ser uma fonte de calma interior. Há circunstâncias que dependem de nossas decisões e outras em que elas não mudarão em nada seu resultado. Os árabes têm uma palavra para nomear essas coisas que estão fora do nosso alcance: Malesh.

3 passos para lidar com dificuldades e resgatar calma interior

  • Passe a olhar para seus problemas de uma forma mais objetiva, de preferência escrevendo sobre eles.
  • Primeiro, classifique os que dependem de sua decisão e os que não dependem dela. Para esses últimos, Malesh neles! Ou seja, apenas relaxe e espere as coisas se resolverem.
  • Para os que você tem algum poder de decisão, faça duas tabelas, relacionando prós e contras. Pense no peso de cada argumento desses, assim como no tempo que você tem para efetivamente decidir. Não adie uma decisão até os 45 minutos do segundo tempo, isso sempre angustia demais a torcida e você mesmo. Essa ideia de tabela de prós e contras parece boba, mas é uma forma de organizar visualmente sua vida, o que pode lhe auxiliar a sair da inércia.

Aprenda a reconhecer seus problemas. Os que precisam de sua decisão, aja para resolvê-los. Já em relação ao que está fora do seu alcance, relaxe e espere a decisão que vem de fora. Assim, você cultivará sua calma interior, que é um fator de prevenção para muitas doenças.

Obrigado, querida Fabiana Macchi, grande gerente de palavras, pelo Malesh!

Confira também:

+ Qual é o conselho do Tarot para você hoje?

+ Receba matérias e dicas sobre autoconhecimento, bem estar, alimentação e muito mais. É grátis!

+ 8 problemas íntimos femininos que têm origem nas emoções.

+ Cheiros para amenizar feridas emocionais.

Sobre o autor

Marcelo Guerra © Personare Marcelo Guerra

Médico graduado pela UFRJ. Começou a carreira como Psicanalista e depois enveredou pela Homeopatia e Acupuntura. Ministra oficinas e palestras em todo o Brasil e atende em consultório no RJ. Saiba mais »

Mais de Personare

image beaconimage beaconimage beacon