Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Fórmula pode ajudar a reabrir escolas nos Estados Unidos

Logotipo do(a) Revista Planeta Revista Planeta 28/08/2020 Revista Pesquisa Fapesp
© Fórmula que estima a prevalência infantil oculta a partir de dados públicos pode ajudar a preparar a...

Um cálculo pode permitir avaliar o risco de haver uma criança infectada com o vírus SARS-CoV-2, porém assintomática, em cada turma escolar de uma cidade – e assim contribuir para planejar o retorno do ensino presencial. A proposta é de uma equipe da Universidade da Califórnia em San Francisco, nos Estados Unidos, que analisou testes de covid-19 feitos em mais de 33 mil crianças admitidas por outros motivos em 28 hospitais país afora, de acordo com publicação na “Jama Pediatrics”.

A partir dos resultados, os pesquisadores concluíram que há uma relação linear entre a prevalência local da doença na população em geral e a proporção de crianças portadoras do vírus que não apresentam sintomas. “Uma região onde a taxa de covid-19 fosse o dobro de outra região teria também o dobro de infecções pediátricas assintomáticas”, disse o médico Dylan Chan, autor principal do artigo, em comunicado de imprensa. Assim, estabeleceram uma fórmula para prever essa prevalência infantil oculta a partir de dados públicos e, com isso, calcularam e compararam o risco de reabrir escolas em diferentes municípios.

LEIA TAMBÉM: Crianças são ‘disseminadoras silenciosas’ do vírus da covid-19

A expectativa é que a fórmula valha para todas as regiões dos Estados Unidos. É um cuidado importante porque a carga viral das crianças assintomáticas pode ser mais alta do que em adultos hospitalizados pela doença, tornando-as potenciais transmissoras, de acordo com estudo de grupo da Faculdade de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, publicado na revista “The Journal of Pediatrics”.

Mais de Revista Planeta

image beaconimage beaconimage beacon