Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Reino Unido vai oferecer vacina alternativa à AstraZeneca para menores de 30 anos

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 08/04/2021 Poder360
O Reino Unido aplicou a vacina da AstraZeneca em 20 milhões de pessoas, e registrou 79 casos de coágulos sanguíneos, dos quais 19 levaram à morte © ZupaBA VUCBA (via Wikimedia Commons) O Reino Unido aplicou a vacina da AstraZeneca em 20 milhões de pessoas, e registrou 79 casos de coágulos sanguíneos, dos quais 19 levaram à morte

Depois que especialistas informaram autoridades do Reino Unido sobre preocupações com efeitos colaterais da vacina da AstraZeneca, o país decidiu oferecer um imunizante alternativo para adultos com menos de 30 anos.

No Reino Unido, além da AstraZeneca, há duas vacinas aprovadas para uso: a da Pfizer/BioNTech e a da Moderna.

Segundo o JCVI (comitê do governo para vacinas e imunização), o governo informou a 10 milhões de pessoas que têm de 18 a 29 anos sobre a possibilidade de receber uma vacina diferente.

Para as pessoas mais velhas, os benefícios da vacina superam em muito os riscos, informou o órgão.

A vacina da AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, é a mais utilizada no Reino Unido. Mais de 20 milhões de pessoas já receberam o imunizante e o Reino Unido registrou 79 casos de coágulos sanguíneos, dos quais 19 levaram à morte.

Apenas 3 casos ocorreram em pessoas com menos de 30 anos.

Receba a newsletter do Poder360

O vice-diretor médico da Inglaterra, professor Jonathan Van-Tam, disse que a mudança é “uma correção de curso”. Segundo ele, a alteração terá pouco ou nenhum impacto no cronograma de distribuição da vacina, embora tenha alertado que menores de 30 anos podem enfrentar pequenos atrasos na inoculação.

A EMA (Agência Europeia do Medicamento) declarou que acidentes vasculares raros registrados em pessoas que tomaram o imunizante da AstraZeneca/Oxford podem ter relação com o imunizante. O órgão regulador europeu está examinando se outras vacinas que usam tecnologia semelhante à da AstraZeneca representam algum risco.

Houve 3 casos de tromboembolismo venoso com baixo teor de plaquetas envolvendo a vacina da Johnson & Johnson, afirmou um funcionário da EMA.

Os sintomas dos coágulos sanguíneos cerebrais incluem dores de cabeça severas e visão turva, e a maioria dos casos ocorre cerca de duas semanas depois da aplicação. Mas tais eventos são tratáveis se a ajuda médica for procurada, disseram especialistas.

O médico June Raine, CEO do MHRA (Autoridade Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido), disse que o risco era “extremamente pequeno” e que o órgão ainda não havia concluído que a vacina era responsável pelos coágulos.

As evidências estão se firmando. Embora seja uma possibilidade forte, mais trabalho é necessário para estabelecer, sem qualquer dúvida, que a vacina causou esse efeito colateral”, declarou.

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon