Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Mundo terá 1 bilhão de pessoas obesas até 2030, alerta entidade

Logotipo do(a) Revista Encontro Revista Encontro 13/05/2022 Da redação

© Pixabay Um levantamento publicado pela Federação Mundial de Obesidade revelou que uma a cada cinco mulheres e um a cada sete homens serão obesos dentro dos próximos oito anos, ou seja, em 2030 o mundo terá 17,5% da população adulta com obesidade. Esta condição é o gatilho para diversas outras doenças e vem preocupando a classe médica, especialmente em países de baixa e média renda, onde o índice de obesidade está mais presente. Os dados brasileiros dentro deste levantamento são alarmantes. Estima-se que 29,7% dos brasileiros serão obesos até 2030.

© Divulgação Para o cardiologista Augusto Vilela, da rede Mater Dei, o estilo de vida é um dos principais fatores que levam ao problema, desencadeando outras doenças importantes. "A falta de tempo comum nas grandes cidades, o consumo de alimentos ultraprocessados, ricos em sódio e açúcar, aos poucos veio transformando o comportamento da população, que se habituou a um estilo de alimentação fast food. A obesidade é um fator de risco sério para o desenvolvimento de outras doenças e está diretamente relacionada as principais causas de morte no Brasil: infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC), diabetes e hipertensão. A obesidade é uma epidemia mundial que precisa ser controlada para que as pessoas vivam com mais qualidade de vida e melhor", alerta.

A má alimentação não é a única responsável pelo aumento da obesidade, mas o sedentarismo também contribui de maneira relevante com este índice. "Jovens e crianças em especial estão passando cada vez mais tempo em frente às telas de celulares e tablets, trocando as brincadeiras e a interação social pelo mundo digital, o que também está associado ao maior consumo de alimentos ricos em carboidratos e açúcares. É mais comum encontrar um adolescente entretido com séries e jogos online do que interessado na prática de esportes, por exemplo", afirma o cardiologista. E o Atlas Mundial da Obesidade 2022, publicado pela Federação Mundial de Obesidade, também mostrou que nos próximos oito anos, o Brasil terá 22,7% da população entre 5 e 9 anos de idade com obesidade e 15,7%, entre os 10 e 19 anos na mesma condição.

Segundo o cardiologista Augusto Vilela, é preciso ir na contramão das estatísticas se quisermos para mudar este cenário nada otimista. "Precisamos voltar a consumir alimentos mais saudáveis como nossos pais e avós faziam a 30, 50 anos atrás. Alimentos mais ricos em nutrientes, fibras, frutas, vegetais e carnes magras. Manter o corpo em atividade também é de extrema importância para mudar as panorama e viver com mais saúde e qualidade de vida", completa.

Mais de Revista Encontro

Revista Encontro
Revista Encontro
image beaconimage beaconimage beacon