Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Aprenda a prevenir queimaduras bucais

Logotipo do(a) ColgateColgate 16/08/2014 Cartola

Aprenda a prevenir queimaduras bucais

No inverno, é comum o consumo de alimentos mais quentes, o que aumenta o risco de queimaduras a boca. Por isso, é importante pensar na prevenção e no tratamento de queimaduras bucais, e estar alerta à temperatura elevada dos alimentos. Além do desconforto, algumas lesões podem demandar medicação. A baixa salivação provocada por remédios ou pela idade também pode causar lesões semelhantes a queimaduras.

A estomatologista Fernanda Salun, professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, alerta que alimentos em temperaturas muito altas podem provocar lesões que, mesmo de menor gravidade, causam desconforto. Uma das maneiras de aliviar a dor no momento da queimadura e reduzir o inchaço é consumir alimentos gelados. Enquanto houver feridas, comidas apimentadas ou frutas cítricas podem causar ardência no local machucado. Por se tratar de uma área sensível, alimentos pontiagudos, como batatas fritas, podem agredir a lesão e atrapalhar o processo de cicatrização.

Na maioria dos casos de queimaduras bucais, em poucos dias, o organismo não encontra dificuldades para a cura. Quando ocorrem lesões mais sérias, recomenda-se a visita ao dentista. Fernanda explica que queimaduras graves com alimentos são raras, mas algumas, ainda que mais simples, precisam de medicamentos. “Muitas vezes a queimadura precisa ser tratada com antibiótico, para evitar infecções. Mas queimaduras realmente graves são muito raras.” Para evitar infecções é importante também não descuidar da higiene bucal. O creme dental, além de manter a boca limpa ajuda a aliviar a dor. Antissépticos bucais também são recomendados, no entanto, o ideal é utilizar produtos sem álcool, para evitar a ardência na lesão.

Com a idade, ou com o uso de alguns medicamentos, a salivação diminui. A estomatologista explica que, com menos saliva, a mucosa bucal fica mais frágil e suscetível a lesões, além de causar uma sensação de ardência. Muitas pessoas confundem as feridas causadas com queimaduras. No entanto, as lesões causadas são diferentes e o tratamento também é outro.

Alguns estudos também investigam a relação do chimarrão com o câncer de boca. O número elevado de casos na Região Sul aumenta o questionamento em torno da bebida. Enquanto alguns pesquisadores investigam as substâncias contidas na erva, outros acreditam que a agressão contínua causada pela alta temperatura em que é consumido o chimarrão pode ter relação com a doença.

image beaconimage beaconimage beacon