Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Boca limpa: passe o carnaval sem preocupações

16/08/2014 Por Redação

Para quem está em busca de paquera, é importante manter a saúde da boca - Shutterstock

Carnaval é sinônimo de diversão. Manter a saúde da boca em dia e observar a hidratação do corpo pode evitar infecções e doenças que podem ser transmitidas pelo beijo, além de evitar a ocorrência de mau hálito que pode ser provocada pelo consumo de álcool e acabar com a festa de qualquer folião.

Quem apresenta qualquer tipo de lesão na boca deve lembrar que está com a saúde exposta e pode facilmente se contaminar e também contaminar os outros. A infectologista e professora da escola de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Regina Lunardi Rocha alerta para a facilidade de se contaminar por meio do beijo, já que, dentro da cavidade oral, existem milhares de bactérias que convivem com nosso organismo sem causar nenhuma doença, explica.

Segundo Regina, a mais comum dessas doenças é a mononucleose, uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr, que fica na saliva. Conhecida como a “doença do beijo”, causa inchaço na região do pescoço, além de febre e dor de garganta.

O contágio da herpes simples também se dá pela saliva. A doença não tem cura e se manifesta através de feridas bolhosas na mucosa da boca ou da região genital, sempre que a imunidade do organismo fica baixa. “Herpes não se transmite se não houver lesão”, afirma a infectologista.

Outras doenças como a hepatite tipo A também podem passar de uma boca para outra mas, assim como a herpes, o portador tem que estar na fase aguda na doença. Os sintomas da hepatite são febre, dor e icterícia, quando a pessoa fica com a pele amarelada. Mas Regina alerta que, mesmo na fase aguda, essas doenças podem passar despercebidas. “A pessoa pode estar assintomática. Podemos tomar o cuidado de observar os sintomas, mas isso não é garantia de que não vai haver contaminação”, diz. É importante ressaltar que a aids não é transmissível pelo beijo, porque a saliva não contém carga viral suficiente para transmitir o vírus HIV.

Hidrate-se

Para o cirurgião dentista Rodrigo Bueno de Moraes, no carnaval, deve se tomar mais cuidado com a hidratação, já que, dormindo pouco, ingerindo álcool, no calor ou exposto ao sol, o corpo desidrata e fica ainda mais vulnerável a doenças. Beber água também faz com que se consuma menos álcool, que causa mau hálito também em função da desidratação. Com a combinação de álcool e cigarro, que seca a boca, o cheiro ruim pode piorar. “Uma dica é consumir água e usar um hidratante com filtro solar nos lábios, porque a pele ressecada fica mais apta a se contaminar com vírus e bactérias”, diz.

A cárie também pode ser transmitida pelo beijo, já que é causada por uma bactéria. Mas existe uma condição específica para que aconteça a transmissão: “a bactéria tem que passar para uma boca que come muito açúcar e tem uma má higiene bucal”, acrescenta o dentista.

image beaconimage beaconimage beacon