Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Coração reflete emoções, comprovam cientistas

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
© peshkova - Fotolia.com

Cientistas comprovam que o coração reflete as emoções

Quando se pensa em coração, logo nos vem à cabeça a frequência cardíaca ou a pressão arterial, medidas que refletem a saúde do órgão por meio da contagem do número de batimentos e a força do sangue na parede das artérias.

Contudo, uma nova mensuração tem ganhado espaço no mundo científico justamente por refletir uma característica atribuída popularmente ao coração: as emoções. Chamada de coerência cardíaca, o estado indica fisiologicamente o que chamamos de equilíbrio corpo e mente e pode ser monitorado e treinado.

O estado de coerência cardíaca foi descoberto por cientistas da Califórnia, dedicados aos estudos das implicações de emoções e do estresse na variabilidade da frequência cardíaca. Este indicador, que é o intervalo de tempo entre duas pulsações consecutivas, é modificado conforme as reações do sistema nervoso autônomo e pelas emoções, tornando-se um importante indicador fisiológico do estresse e de patologias associadas, como ansiedade.

Estudando o comportamento da variabilidade de frequência cardíaca perante situações do dia a dia, os cientistas perceberam que a pessoa emocionalmente equilibrada entra em sincronismo coração/cérebro e o intervalo de tempo entre suas pulsações cardíacas torna-se sinusal quando monitoradas num computador doméstico.

"Pesquisas mostram que, quando o gráfico da variabilidade da frequência cardíaca fica em formato de onda, o corpo entra em coerência cardíaca, condição em que respiração, frequência cardíaca e pressão arterial encontram-se em harmonia. Conseguiram medir, então, fisiologicamente o perfeito ponto de equilíbrio do sistema nervoso autônomo e que essa harmonia interna pode ser perfeitamente treinada", explica o pesquisador Marco Fábio Coghi - um dos maiores estudiosos do tema no Brasil.

"Outra novidade: no estado de coerência cardíaca, o organismo aumenta a imunidade e ocorre, ainda, o controle automático do corpo sobre a produção de alguns hormônios. Quando em excesso, esses hormônios podem ser nocivos à nossa saúde, como o cortisol, conhecido hormônio do estresse. A coerência cardíaca também fomenta a concentração, tomada de decisão e o aprendizado", conclui.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon