Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Dentaduras podem causar reações alérgicas em pacientes, ainda que raras

16/08/2014 Por Redação

Casos de alergia a materiais na odontologia são raros. O mais comum é a estomatite - Shutterstock

As reações alérgicas, também chamadas de hipersensibilidade podem ser de vários tipos e dependem de cada indivíduo. Na odontologia, de maneira geral, os procedimentos não desencadeiam reações alérgicas, mas quando ocorre algum caso, segundo a professora de odontologia da Universidade Estadual Paulista, Elaine Massucato, geralmente as reações acontecem por conta de algum medicamento ou material utilizado, que para um paciente específico, age como um alérgeno. Quando acontecem, as reações mais comuns são a medicamentos, raramente a materiais e anestesias, mas casos esporádicos podem surgir.

O diretor da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD), Dr. Artur Cerri, lembra que as reações alérgicas podem ocorrer em qualquer tipo de procedimento, médico ou odontológico, principalmente quando se fala em métodos invasivos. “Mesmo sendo raras, as reações podem existir por conta de medicações sistêmicas empregadas para tratar a dor, inflamações ou infecções, por exemplo. Nesse casos, acabam ocorrendo efeitos colaterais dos medicamentos, geralmente de antibióticos, anti-inflamatórios ou analgésicos”, explica.

Em relação às alergias causadas por materiais odontológicos, Cerri esclarece que atualmente eles evoluíram muito e são raros os casos de reações, mas um ou outro caso pode acabar ocorrendo com qualquer material. O professor de patologia da faculdade de odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Vinicius Carrard, explica que dentro dos raros casos de alergia, as mais comuns são aquelas por contato direto, como a estomatite protética, que ocorre em pacientes que usam dentadura. “A reação ocasiona uma área avermelhada na gengiva que recobre o céu da boca. Pode ser confundida com uma reação fúngica. Se não sumir com o tratamento para fungos, se assume que é um caso de alergia ao material da prótese”, explica.

Em relação a anestesias, Cerri explica que existem casos raros relatados de intolerância a um determinado tipo de anestésico. Geralmente, é necessária uma reação prévia para saber da hipersensibilidade do paciente. “Quando ocorre a alergia, o paciente apresenta sudorese, respiração acelerada, taquicardia e mal estar geral por curto período de tempo. A quantidade de anestésico aplicada durante os procedimentos odontológicos geralmente é pequena. O profissional consegue detectar uma reação. Já tive um paciente que demonstrou uma reação alérgica local pelo Eugenol (líquido analgésico dental), que depois da administração de um antialérgico, os efeitos desapareceram”, conta. Portanto, se você tiver experiências anteriores de alergia, deve comunicar ao dentista antes da realização do procedimento.

Algumas vezes, o estresse pode provocar algumas reações inconvenientes. “O paciente sob estresse potencializa as reações: exagera na dor, pro exemplo. Muitos encaram a cadeira do dentista como um inimigo. Os pacientes ansiosos são os mais difíceis de serem tratados. Muitos apresentam taquicardia e pressão alta durante o tratamento. O cirurgião-dentista, ciente desta condição do paciente, pode receitar um calmante antes do procedimento”, conclui.

image beaconimage beaconimage beacon