Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Dentistas voluntários já atenderam 43 mil crianças e adolescentes carentes no país

16/08/2014 Por Redação

ONG brasileira oferece tratamento odontológico gratuito para público de 11 a 17 anos - Shutterstock

O sorriso de uma criança costuma ser o maior presente para voluntários de todo o mundo que dedicam parte de sua vida a uma causa. No caso do fundador da ONG Turma do Bem, Fábio Bibancos, a recompensa tem um significado ainda maior: para o dentista, um sorriso bonito é sinônimo também de saúde e fruto direto do seu trabalho. Saber que, neste momento, uma criança que estava com dor será tratada e logo vai voltar a sorrir é o melhor dos resultados, diz.

Em 1995, Bibancos escreveu o livro “Um sorriso feliz para seu filho” acreditando que informar os pais sobre o melhor modo de cuidar da saúde bucal de seus filhos resolveria muitos problemas dentais. Para divulgar o livro, fez uma série de palestras em escolas, e foi aí que percebeu que a educação sozinha não daria jeito. “As mães vinham até mim e diziam: 'tá, doutor, eu entendi tudo... mas o que eu faço com o meu filho?'. As bocas que me eram apresentadas não podiam mais depender apenas da educação. Elas precisavam de uma intervenção urgente. Até porque a grande maioria não tinha condições para comprar sequer escova, pasta e fio dental”, conta.

Então Bibancos começou a atender gratuitamente algumas crianças no seu próprio consultório. Depois, chamou alguns amigos dentistas para fazer a mesma coisa. Assim, em 2002, nasceu a Turma do Bem (TdB). Com a proposta de “fazer pelo outro o que faríamos pelo nosso próprio filho”, a TdB hoje tem 15 mil dentistas cadastrados no projeto, está em mais de 1.300 municípios do Brasil e em outros 10 países da América Latina (Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, Paraguai, Peru e Venezuela) e Portugal. Para Bibancos, o crescimento da ONG se deve a um fato: “em todo lugar que existe população carente, o acesso a tratamento odontológico é um problema”.

Critérios

O dentista James Burd está na Turma do Bem há cinco anos. Hoje ele é coordenador da ONG na cidade de Porto Alegre (RS). Ele conta que já atendia gratuitamente alguns pacientes quando conheceu o trabalho por indicação de amigos nas redes sociais. Hoje sua função é procurar mais dentistas e ampliar o número de consultas para que mais crianças sejam atendidas.

James procura escolas, ONGs, instituições que tenham relação com comunidades carentes para chegar até o seu público alvo: crianças e adolescentes de 11 a 17 anos. “Quando fazemos a triagem, as crianças preenchem um questionário socioeconômico, e fazemos uma rápida avaliação da condição bucal de cada uma”. Mas nem todos podem receber o tratamento gratuitamente, é preciso respeitar alguns critérios: os adolescentes que estejam mais próximos do primeiro emprego têm prioridade, depois, os que têm mais problemas de saúde bucal, além do fator socioeconômico.

Os tratamentos oferecidos pela ONG são realizados no consultório de cada “dentista do bem” e têm caráter curativo, preventivo e educativo. Os 43 mil beneficiários do trabalho da ONG são um orgulho para o seu fundador: “Muitos de nossos voluntários são professores, e utilizam essa oportunidade para mostrar a importância social do exercício da odontologia.”

Para receber uma visita dos dentistas do bem, pessoas físícas, instituições, escolas ou ONGs devem entrar no site turmadobem.org.br e solicitar uma triagem. No caso de a TdB não possuir nenhum credenciado na sua cidade, a ONG poderá passar orientações de como procurar atendimento gratuito pelo telefone (11) 5084 - 7276.

image beaconimage beaconimage beacon