Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Especialista fala sobre os medos de quem quer fazer uma cirurgia plástica

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
Photo: Especialista fala sobre os medos de quem quer fazer uma cirurgia plástica © Syda Productions - Fotolia.com Especialista fala sobre os medos de quem quer fazer uma cirurgia plástica

Especialista fala sobre os medos de quem quer fazer uma cirurgia plástica

Você sempre quis mudar aquele detalhe no seu corpo. Mas, quando se vê diante da possibilidade de encarar uma cirurgia plástica, qual é a sua reação? Um misto de vontade e medo? Se a resposta for "sim", pode ficar tranquilo, pois este sentimento é compartilhado pela maioria das pessoas.

"É natural que o paciente apresente temores, especialmente se é a primeira vez que é submetido a uma cirurgia. Cabe ao médico assistente criar um espaço para o diálogo, apresentando respostas claras, precisas e reais para cada questionamento", descreve Dr. Fausto Bermeo, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A anestesia é citada como um dos principais fatores de ansiedade, até porque a maior parte dos problemas é em consequência deste procedimento. Clínicas bem equipadas e a atuação de anestesiologistas experientes são imprescindíveis para a segurança do procedimento. 

"O grande número de cirurgias no Brasil acabou formando anestesiologistas que conhecem muito bem as particularidades das plásticas, o que é muito benéfico", destaca Dr. Fausto. A avaliação pré-cirúrgica criteriosa é outro aspecto importante para a minimização de riscos. "Os exames revelam a condição de saúde do paciente", comenta o médico.

O medo de sentir dor também ronda a mente dos candidatos. "Hoje, o desconforto de grande parte das cirurgias é tolerável. Mas é necessário deixar claro que há procedimentos que geram um incômodo maior", afirma. Em especial, ele destaca a lipoaspiração na região das costas e os procedimentos de grande porte - como os que são realizados nos ex-obesos mórbidos. "A prescrição de analgésicos colabora para o controle da dor", explica Dr. Fausto.

Ainda existe a preocupação com as cicatrizes. De acordo com o especialista: "A boa cicatrização não acontece por acaso. Ela advém de cuidados específicos durante a intervenção e da estrita observação das recomendações médicas no pós-cirúrgico. O resultado final será visto após de um a três meses. Enquanto isso, o paciente deve manter a região higienizada e sem tensão e deve, ainda, evitar a exposição ao sol".

Um dos novos itens desta lista de medos e anseios é a embolia. Ela ocorre quando um coágulo formado em uma artéria ou veia se desprende, atingindo um grande vaso ou o pulmão. Mais uma vez, a anamnese pré-cirúrgica é vital. 

"Pacientes tabagistas, sedentários, portadores de grandes varizes e as usuárias de contraceptivo oral merecem atenção maior e cuidados redobrados antes, durante e após o procedimento. A incidência é muito reduzida - Menos de 0,5%, mas por se tratar de uma intercorrência grave, os especialistas avaliam cuidadosamente os riscos", ressalta o médico.

E será que os medos são os mesmos, tanto para os homens, quanto para as mulheres? "Eles se preocupam sim, mas com aspectos diferentes. Enquanto elas ficam mais apreensivas em relação ao procedimento, eles costumam ficar mais atentos ao resultado final", conclui Dr. Fausto.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon