Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Estresse pode causar doenças na gengiva

16/08/2014 Por Redação

Aliados à má higiene, hormônios e adrenalina podem causar periodontite - Shutterstock

A falta de tempo, a constante ansiedade, o excesso de trabalho e os poucos momentos de lazer podem acabar prejudicando sua saúde bucal. Cada vez mais comum nos dias de hoje, o estresse é responsável não só por distúrbios cardiológicos e dermatológicos mas também por doenças periodontais - que acometem a gengiva, responsável pelo suporte dos dentes - como a gengivite e a periodontite crônica.

A relação entre estresse e a saúde bucal ainda é bastante discutida e ainda são poucos os estudos que conseguem associá-los. Marilisa Terezan, coordenadora do curso de especialização em periodontia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, diz que as pesquisas apontam duas possíveis conexões. Uma delas está ligada a questões comportamentais: em momentos estressantes, as pessoas tendem a ter hábitos negativos, como fumar ou consumir bebidas alcoólicas, e descuidar da higiene bucal. O tabaco provoca um maior acúmulo de placas, com bactérias que podem ser mais nocivas. Uma pesquisa realizada por Suzanne Barbour e sua equipe verificou que fumantes têm até seis vezes mais probabilidade de desenvolver doença periodontal. Os descuidos com a higiene bucal em situações de estresse foram constatados também em outro estudo. Em 2007, um trabalho publicado no Journal of Periodontology mostrou que 56% dos participantes tiveram a escovação dos dentes e uso do fio dental afetados pelo estresse.

Outras pesquisas apontam relações com o sistema nervoso central e a hipófise. Segundo o professor de periodontia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp, Francisco Humberto Nociti Junior, estudos têm indicado o estresse como fator de risco, porém não se sabe exatamente por quais mecanismos isso acontece. Acredita-se que situações estressantes, por liberarem um alto nível de adrenalina e do hormônio cortisol, que regulam funções como o sistema imune, poderiam reduzir a resistência do indivíduo e potencializar a ação das placas bacterianas.

Nociti Junior aponta a periodontite crônica como a principal doença ocasionada pelo estresse na saúde bucal. Mais severa que a gengivite, tem como causa primária a presença da placa bacteriana e pode resultar na perda de inserção dos dentes. Se não diagnosticada logo no início, pode ser necessária uma intervenção para reparação dos tecidos. Marilisa ressalta que apenas a periodontite crônica pode ser acentuada pelo estresse, enquanto a periodontite agressiva é hereditária. Ela aponta ainda outra doença frequentemente despertada pela questão emocional: a gengivite ulcerativa necrosante. Este processo agudo é muito comum em jovens fazendo vestibular, por exemplo, e não acarreta em perda óssea ou de inserção, mas gera muita dor.

Para evitar o estresse, especialistas recomendam a prática de atividades físicas, o controle da respiração, a leitura, uma rotina organizada e até mesmo a mastigação.

image beaconimage beaconimage beacon