Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Fumo pode aumentar cáries e levar à doença periodontal

16/08/2014 Por Redação

O hábito de fumar pode escurecer os dentes e aumentar o risco de cáries - Shutterstock

Fumar é um hábito condenado por profissionais de diversas áreas da saúde. Na saúde bucal não é diferente. O hábito pode provocar desde malefícios na gengiva e língua até nos dentes. Doenças como a periodontal - que acomete a perda do osso de suporte dos dentes e pode ocasionar mobilidade dentária, mau hálito e perda dos dentes -, vários tipos de câncer e até mesmo o aumento da quantidade de cáries podem ser causados pelo cigarro.

Nos dentes, os impactos não estão relacionados à estrutura em si. Segundo o professor do departamento de Odontologia Restauradora da Unicamp, Marcelo Giannini, na estrutura dental, o relato mais comum é o escurecimento e manchamento do dente e mudança de sua pigmentação, geralmente para um tom amarelado.

Os componentes da fumaça também podem impregnar a superfície dos dentes e, se não forem removidos, podem gerar maior colonização de bactérias na estrutura dental. Essas bactérias levam a alterações irreversíveis e danos sérios ao tecidos moles ao redor do dente, como acontece com a doença gengival, mais conhecida como periodontite. “O fumo, associado a outros fatores como a má escovação dos dentes, pode causar a doença. Fumantes têm quatro vezes mais chances de desenvolvê-la. A raspagem e alisamento radicular fazem parte do tratamento doloroso para reverter o quadro, que é quase cirúrgico”, alerta Giannini.

Além disso, o fumo pode levar ao câncer nas mucosas orais como na língua, bochecha ou lábios. Em alguns casos, pode ocorrer também a redução da salivação por conta da fumaça do cigarro, que associada à pigmentação do dente e resíduos em sua estrutura, podem aumentar a ocorrência de cáries. Em um estudo da Agência para a Investigação e Qualidade de Atenção da Saúde (AHRQ), dos Estados Unidos, que utilizou dados e exames médicos feitos em quatro mil crianças de 4 a 11 anos, foi descoberto que, se apresentassem altos níveis de cotinina (derivado da nicotina, presente nos cigarros), por meio da exposição à fumaça de cigarro, as crianças desenvolviam maior risco de cáries. Cerca de 32% das crianças que possuíam níveis altos de cotinina tinham cáries em seus dentes de leite. Nas crianças com níveis mais baixos, o índice foi de 18%.

Tratamento

Para reverter o problema estético, o indicado são os clareamentos dentais, que independentemente do tempo em que o paciente foi fumante, conseguem reverter a alteração de cor. Desde que o paciente não continue com o hábito, pois a deposição da pigmentação voltar a acontecer logo no primeiro cigarro após o tratamento. “Claro que quanto maior for o tempo que o paciente fumou, mais difícil será clarear, mas o resultado é possível”, afirma Giannini. Apesar de possuírem tratamento, as doenças causadas pelo fumo podem ser graves e o mais indicado é não iniciar o hábito de fumar ou encerrá-lo o mais rápido possível. “O fumo não é indicado. Com o passar do tempo, com certeza ele vai causar a perda da estética dental e pode levar ao câncer”, conclui Giannini.

image beaconimage beaconimage beacon