Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Obesidade infantil influencia sistema cardiovascular

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
Photo: Obesidade infantil influencia sistema cardiovascular © Jaimie Duplass - Fotolia.com Obesidade infantil influencia sistema cardiovascular

Obesidade infantil influencia sistema cardiovascular

A cada dia que passa, mais novidades surgem no mercado dos alimentos, principalmente quando se fala em "produtos infantis". Qual criança não se realiza com um prato de batatas fritas, um super hambúrguer e uma latinha de refrigerante? Porém, quanto pior é a alimentação, maior o número de problemas de saúde, principalmente aqueles que estão diretamente ligados à obesidade.

Esse foi o resultado de uma pesquisa realizada pela Faculdade de Fisioterapia da PUC-Campinas, que contou com a participação de 45 crianças, de 9 a 11 anos de idade, obesas, não obesas e obesas mórbidas a fim de identificar problemas precursores de doenças cardíacas.

Segundo Mario Augusto Paschoal, professor responsável pelo estudo, as crianças obesas mórbidas têm grande limitação cardiorrespiratória quando submetidas a esforço, se comparadas a crianças saudáveis da mesma idade. Essa limitação traz uma série de transtornos, como a formação de um ciclo vicioso. "Esse aspecto faz com que as crianças obesas não pratiquem atividade física, devido a desmotivação, e isso as leva a engordar mais ainda e serem mais sedentárias, fechando o ciclo", explicou o pesquisador.

Além disso, outros problemas podem surgir com a obesidade, como a hipertensão arterial, diabetes, o desenvolvimento de doenças vasculares e uma alteração nas taxas de colesterol e triglicérides. Os valores de colesterol bom do grupo de crianças não obesas foram 24% maiores do que o apresentado pelas crianças obesas mórbidas e 16,2% maiores do que o apresentado pelas crianças obesas. Os valores de triglicérides apresentados pelas crianças não obesas foram 39,5% menores do que os valores do grupo de obesos mórbidos e 14,3% menores do que os de triglicérides do grupo de obesos. 

"A conclusão a que se chega é que determinados precursores de doenças cardíacas já se mostram presentes nas crianças obesas e obesas mórbidas, mesmo na faixa estudada (9 a 11 anos), ainda pouco explorada pela literatura, o que nos deixa mais preocupados e cientes da necessidade premente de uma intervenção terapêutica, cada vez mais precoce, voltada a essas crianças", concluiu Paschoal.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon