Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Respiração errada pode engordar

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
Photo: Respiração errada pode engordar © @ pressmaster - Fotolia.com Respiração errada pode engordar

Respiração errada pode engordar

Você está acostumado a controlar a ingestão de alimentos gordurosos e calóricos, costuma apostar em algumas opções de tratamentos estéticos que prometem emagrecer e, até, já pensou em fazer alguma cirurgia para retirar aquela gordura indesejada. Mas, você já imaginou que a sua respiração pode estar te engordando?

Segundo Gerson Köhler, ortodontista e ortopedista-facial, respirar de maneira incorreta pode engordar. "Pode parecer estranho, mas há uma relação entre a respiração, a mastigação e o aumento do peso e o resultado é um efeito cascata", ressalta.

Köhler explica que respirar pela boca, seja por razões como hipertrofia (aumento de amígdalas ou adenoide) ou alterações na anatomia interna do nariz (desvio septal ou cornetos hipertróficos), gera anomalias anatômicas do rosto e de toda a região dentofacial, que engloba a boca.

"Estas alterações acontecem de forma progressiva e podem começar ainda na infância. Elas são denominadas alterações ortopédicas, no caso dos ossos da face, principalmente da maxila e da mandíbula, ou alterações ortodônticas, quando os dentes estão mal posicionados devido a arcadas ósseas mal formadas", esclarece.

Além disso, os problemas ortodônticos, que geram a má-oclusão dentária, prejudicam a mastigação e a estética do sorriso. "A mastigação deficiente, sem a trituração adequada dos alimentos, faz com que o bolo alimentar seja engolido rapidamente. Assim o cérebro não tem tempo de acionar o mecanismo de saciedade e o indivíduo acaba comendo mais do que o necessário. O organismo sente que está satisfeito somente cerca de 20 minutos após o início das refeições, ou seja, é fundamental mastigar direito e devagar para não ingerir calorias em excesso", observa.

Para quem ainda acha que tudo não passa de um exagero de dentista, o especialista alerta para a probabilidade de o problema evoluir para a obesidade: "Para que tudo seja tratado efetivamente é necessário que as três variáveis - respiração incorreta, problemas ortodônticos e mastigação deficiente - sejam trabalhadas. Nestes casos uma equipe multidisciplinar, envolvendo um ortodontista, um otorrinolaringologista, uma fonoaudióloga mioterapeuta e um nutrólogo ou endocrinologista é essencial para ter uma avaliação exata do problema e o tratamento mais adequado".

A má qualidade do nosso sono também afeta a incessante batalha contra a balança. De acordo com o dentista, os distúrbios respiratórios do sono (DRS) estão intimamente ligados ao aumento do peso. A respiração feita pelo nariz exerce papel essencial no sono e na oxigenação do corpo. Quanto mais massa corporal o indivíduo tiver, maior será o esforço para respirar, o que o leva a inspirar o ar - também - pela boca.

 "O resultado é a apneia, ronco e outros distúrbios do sono. É um ciclo vicioso. Respirar mal pode levar a problemas ortodônticos e prejudicar a qualidade do sono. Alterações ortodônticas, por sua vez, geram uma má mastigação e ingestão inadequada do alimento, não completamente processado e ensalivado, podendo, por fim levar ao aumento de peso", finaliza.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon