Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Saiba mais sobre as vacinas que protegem de doenças comuns no outono-inverno

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
© Subbotina Anna - Fotolia.com

Saiba mais sobre as vacinas que protegem de doenças comuns no outono-inverno

As gripes e pneumonias são doenças virais e bacterianas graves que acometem grande número de pessoas durante o período de outono-inverno. As gripes atingem principalmente pessoas com algum fator de risco que facilita o contágio ou o agravamento de doenças - como idosos, crianças, adultos jovens, gestantes ou puérperas (até 45 dias do parto ou cesárea), portadores de doenças crônicas (cardiopatas, diabéticos, pneumopatas, transplantados, Aids, entre outras), presidiários, indígenas e profissionais de saúde.

As gripes são doenças virais causadas pelos vírus influenza, diferente dos resfriados (menos grave e causados por outros vírus e sem possibilidade de prevenção por vacinas) podendo ser sazonal (número de casos com pouca variação durante o ano, com pequeno aumento esperado no outono-inverno) ou epidêmica (aumento do número de casos expressivo e inesperado principalmente no outono-inverno) que apresentam sintomas muito comprometedores do estado geral (febre, dor no corpo, dor de cabeça, mal estar geral), de fácil propagação e com complicações graves (pneumonias bacterianas) ou até óbitos.

Segundo a Dra. Marta Fragoso, infectologista e coordenadora do Núcleo de Gestão de Segurança Assistencial do Hospital VITA, de Curitiba, "as gripes são de fácil transmissibilidade e contágio, através do contato com pessoas, objetos ou superfícies contaminadas com o vírus através das mãos diretamente na mucosa da boca, nariz ou olhos. Daí a importância de higienizar as mãos com muita frequência usando água, sabonete líquido, papel toalha e álcool gel 70% para prevenir o contágio", diz a especialista.

Há mais de 100 subtipos de vírus influenza que causam a gripe, no entanto aqueles que causam quadros clínicos e complicações mais graves são prevenidos através de vacinação anual (protege de 70% a 90% dos casos de gripe). A vacina anual é inativada (não causa gripe) e confere proteção contra o vírus que circulou com maior prevalência no ano anterior e outros dois de maior importância clínica para prevenção (composição para 2014: trivalente contra os vÍrus H1N1, H3N2 e influenza B). A campanha de prevenção do Ministério da Saúde para os grupos de maior risco teve início em 22 de abril de 2014 com vacinação gratuita, no entanto, qualquer pessoa, após os 6 meses de idade e sem alergia às proteínas do ovo, pode se vacinar na rede privada. O efeito protetor da vacina é observado cerca de duas semanas após sua administração, sendo efetivo por até um ano.

Em função de que a vacina não confere 100% de proteção contra todos os tipos e subtipos de vírus inflenza é importante saber que mesmo vacinado ou caso não tenha recebido a vacina, se estiver cursando com sinais e sintomas de gripe se deve procurar assistência médica para os cuidados necessários, inclusive a prescrição de antivirais específicos (Oseltamivir) precocemente com o intuito de reduzir a multiplicação viral, os sintomas e a propagação do vírus.

Já as pneumonias são doenças infecciosas virais, bacterianas (mais comuns) ou provocadas por fungos e comumente podem ser resultado de complicações das gripes. A bactéria que mais comumente causa pneumonia em adultos é S. pneumoniae (pneumococo).

A vacina contra a gripe também reduz a possibilidade de se contrair pneumonia de forma geral, a vacina contra a bactéria H. influenzae tipo B (HIB) previne esta pneumonia em crianças e a vacina anti-pneumocócica previne contra a pneumonia por S. pneumoniae em adultos com condições favoráveis e idosos (vacina com periodicidade de 5 anos, ou seja, repetir de 5/5 anos que é o prazo máximo de proteção). No entanto, as vacinas anti-pneumocócica e HIB podem ser obtidas gratuitamente na rede pública para crianças, idosos ou com doenças facilitadoras ou agravadoras de pneumonias. A médica recomenda consultar o calendário básico vacinal do Ministério da Saúde ou aderir às campanhas, ou ainda buscar as vacinas na rede privada após prescrição médica.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon