Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Você exagera no sal?

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
Photo: Você exagera no sal? © WavebreakmediaMicro - Fotolia.com Você exagera no sal?

Você exagera no sal?

Qual a quantidade de sal que você consome por dia? Ao se deparar com esta pergunta, a resposta da maioria das pessoas é a mesma: "não faço ideia". Porém, uma certeza você pode ter: é mais do que o indicado para a sua saúde! Segundo pesquisas, a população brasileira consome duas vezes e meia mais sal do que o limite orientado.   A nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão (RJ), Cintya Bassi, destaca que "O sódio é um mineral considerado essencial para o bom funcionamento do organismo, ligado a manutenção do equilíbrio de distribuição da água corporal, no equilíbrio osmótico e ácido-base e no transporte de moléculas".    Porém, a profissional afirma que o prejudicial ao organismo é o consumo excessivo do alimento, pois o abuso do sódio proporciona o aumento da pressão arterial, doenças renais e cardiovasculares, além de interferir na absorção de micronutrientes como o cálcio.   É importante lembrar que o sal de adição (adicionado por cada pessoa nos alimentos) constitui apenas 25% do tempero consumido, e o brasileiro consome em média 11,75g diariamente, valor bem acima da recomendação médica.    "Alguns alimentos, especialmente os industrializados, possuem muito sódio e normalmente têm relação com esse consumo aumentado de sal, por isso devemos controlar esses alimentos na dieta", explica a nutricionista.    Ela orienta que o importante é não cortá-lo totalmente da dieta e sim consumi-lo de forma consciente. "O sal não deve ser eliminado da dieta e sim consumido com parcimônia, isso porque sua ausência no organismo também acarreta problemas como hipotensão, confusão mental, náuseas, vômito e fraqueza".   A pressão arterial é uma doença de alta prevalência e com grande associação ao excesso de sal na dieta, isso acontece porque quando ocorre o consumo de grandes quantidades de sódio ele é absorvido pelo intestino e vai para o sangue, a água do corpo é sugada para os vasos e o organismo na tentativa de manter o equilíbrio e normalizar o fluxo, aumenta a pressão sanguínea.   Os vasos sanguíneos reagem e se contraem para reduzir o fluxo, porém o bombeamento continua intenso. "Consequente a este problema, podem surgir outros diversos, como infarto, AVC, insuficiência renal e arritmia cardíaca" esclarece a profissional.   Para indivíduos hipertensos, alguns cuidados são importantes para alcançar o controle, como diminuir a ingestão do sal de adição. A nutricionista orienta que os alimentos, sejam preparados sem o acréscimo do tempero e que ele seja adicionado após o prato pronto. É importante reduzir o consumo de sal para cerca de 4g (aproximadamente uma colher rasa de café) e em casos mais severos para 2g ao dia.    "Além disso, também é necessário mudar hábitos alimentares, substituindo os temperos industrializados pelos naturais como alho, cebola, limão etc., e evitar o consumo de alimentos como enlatados e conservas (preferindo sua forma in natura), frios e embutidos, queijos amarelos, carnes defumadas, salgadinhos e pratos prontos", conclui a especialista.   Para quem busca mudar sua alimentação e diminuir o consumo de sal é importante ressaltar que as papilas gustativas se adaptam facilmente aos alimentos salgados, por isso acostumar-se com uma dieta com teor reduzido de sal, pode demorar até três meses. "Os alimentos de origem animal também são fontes de sódio, porém em menor quantidade. É o caso dos queijos, leite e carnes e os alimentos de origem vegetal. O sódio também é praticamente inexistente nas frutas e escasso em cereais e leguminosas", finaliza a profissional do São Cristóvão.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon