Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Você sabe o que é arritmia cardíaca?

Logotipo do(a) Sua Dieta Sua Dieta 17/07/2014 Sua Dieta
Photo: Você sabe o que é arritmia cardíaca? © Syda Productions - Fotolia.com Você sabe o que é arritmia cardíaca?

Você sabe o que é arritmia cardíaca?

O agito da vida moderna pode acarretar diversos problemas a nossa saúde. Porém, o que muitos não sabem é que até mesmo o coração entra nesta dança.  O distúrbio mais comum é a arritmia cardíaca, uma alteração no ritmo dos batimentos cardíacos. 

"Muitos pacientes não possuem sintomas da doença, porém, é importante observar a ocorrência, por exemplo, de palpitações, fraqueza, sensação de queda da pressão arterial, falta de ar e dor no peito, que podem representar indícios do transtorno", destaca a assessora médica da URP Diagnósticos Médicos, Daniela Hemerly.

Ela alerta que a arritmia é um distúrbio no ritmo do coração, que normalmente é regular e possui uma frequência que gira em torno de 75 batimentos por minuto, no repouso. De maneira simplificada, este transtorno pode provocar uma aceleração ou diminuição do ritmo normal, causando, então, a taquicardia ou a bradicardia, respectivamente.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Arritmia Cardíaca, 50% das mortes por problemas cardiovasculares acontecem durante a primeira hora da ocorrência e, geralmente, está envolvida com alguma alteração do ritmo do coração. "Normalmente, as arritmias só recebem algum destaque quando um atleta morre subitamente durante a prática esportiva", lembra a ela.

Diagnóstico e tratamento

Para a médica, a arritmia pode se tornar ainda mais grave quando as pessoas percebem algo errado e começam a se automedicar. "O primeiro passo diante de qualquer sintoma é procurar ajuda médica. O especialista avaliará cuidadosamente a situação e poderá indicar desde exames de sangue até os específicos como eletrocardiograma, holter 24 horas e o ecocardiograma, que ajudarão a diagnosticar o problema. Desta forma, estará apto para orientar o tratamento mais adequado para cada paciente", alerta. 

Ela ainda complementa: "Ao ser detectado o transtorno, há várias formas de tratamento, desde o uso de medicamentos adequados até, em situações especiais, o implante de marca-passo. Em casos mais graves, pode ser indicado o tratamento com desfibriladores implantáveis para restaurar o ritmo cardíaco do indivíduo, uma vez desencadeada a arritmia, e tirá-lo da zona de perigo".

 Doença sob controle

A arritmia cardíaca pode ser controlada, mas seu portador necessitará de atenção por toda a vida. "A manutenção de um estilo de vida saudável, aliada ao acompanhamento médico regular, é fundamental para o controle da doença. Além disso, é necessário não exagerar no consumo de álcool e cafeína e manter distância do cigarro", conclui a especialista.

Mais de Sua Dieta

image beaconimage beaconimage beacon