Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Descubra o que fazer se você tem alergia aos materiais ortodônticos

Logotipo do(a) ColgateColgate 16/04/2018 Colgate
Antes de começar o tratamento é preciso conhecer as peças dos aparelhos e as alergias dos pacientes. © Fornecido por Cartola Antes de começar o tratamento é preciso conhecer as peças dos aparelhos e as alergias dos pacientes.

Não são apenas medicamentos que podem causar alergia. Os materiais com quais são feitos os aparelhos ortodônticos, por exemplo, também podem provocar reações indesejadas. Por isso, é importante estar atento aos sinais do organismo até na hora de alinhar o sorriso. 

Vanda Beatriz Teixeira Coelho (CROSP 23362), presidenta da Câmara Técnica de Ortodontia do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, explica que entre os componentes dos aparelhos ortodônticos, o níquel é que mais causa reações. Esta alergia não é rara e acomete cerca de 10% da população feminina e 3% dos homens, segundo Coelho. O maior número de mulheres alérgicas pode ser explicado pela exposição precoce ao material, presente em bijuterias. “Vale destacar, contudo, que nem todas as pessoas alérgicas à substância apresentam reações de hipersensibilidade durante o tratamento ortodôntico”, afirma a dentista.

De acordo com a especialista em ortodontia, os aparelhos geralmente são feitos de aço inoxidável e contêm entre 8 e 12% de níquel. A dentista explica que durante a utilização o mecanismo libera pequenas quantidades de íons metálicos de níquel na cavidade oral. São eles que causam a reação alérgica, ou seja, uma resposta defensiva do organismo para substâncias reconhecidas por ele como estranhas. Nestes casos, o indicado é utilizar braquetes estéticos, de safira, porcelana e policarbonato, entre outros materiais. 

Também é comum pacientes terem alergia ao látex presente nas borrachinhas do aparelho ortodôntico e nas luvas utilizadas pelos dentistas. “Acredita-se que entre 0,12 e 6% da população geral é alérgica ao látex”, afirma Coelho. Quando isso ocorre, a especialista aconselha a substituição por componentes feitos de vinil. Apesar de mais raro, também é possível que a pessoa tenha alergia aos aparelhos móveis. “Nestes casos, os componentes devem ser feitos em aço inoxidável”, aconselha. Já os elásticos ortodônticos podem causar reações como inchaço, estomatite, lesões avermelhadas na boca, ardor, coceira, reações respiratórias e até mesmo choque anafilático que é a forma mais grave de alergia. Nestes casos, vale usar materiais “látex free”.

Quando há alergia, o paciente apresenta sinais logo no início do tratamento. Feridas na região oral, inflamação nas gengivas, sensação de queimação na boca, periodontite e reações externas, como vermelhidão e coceira no rosto e pescoço, são algumas das complicações possíveis. Na maioria das vezes, quando se retira a substância que causa a alergia ela cessa, mas pode levar algum tempo até que os efeitos terminem. Para evitar essas complicações um teste para detectar alergias deve ser realizado antes do início do tratamento. 

image beaconimage beaconimage beacon