Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

TV Cultura exibe documentário sobre Lygia Fagundes Telles

Logotipo do(a) Estadão Estadão 21/04/2017 Luiz Zanin Oricchio
Lygia Fagundes Telles © Eduardo Nicolau/Estadão Lygia Fagundes Telles

Na semana em que Lygia Fagundes Telles completa 94 anos, a TV Cultura apresenta nesta sexta, 21, às 22h30, o especial Lygia, Uma Escritora Brasileira, dirigido por Helio Goldsztejn e produzido pela equipe da emissora.

Bem documentado, o especial não escapa ao formato usual - muitos depoimentos, imagens de época, entrevistas com parentes e com a própria personagem em diversas fases de sua vida. É bem sacada a ideia de buscar a contemporaneidade de uma autora que, afinal, vem escrevendo, com regularidade e sucesso, ao longo de sete décadas. Também adequado vinculá-la à sua cidade, uma São Paulo que ainda tinha vida social, inteligente e articulada.

Entre os depoentes, há escritores como Ignácio de Loyola Brandão, Marcelino Freire e Walnice Nogueira Galvão; jornalistas como Paulo Werneck, Manuel da Costa Pinto e Tati Bernardi; a psicanalista Ana Verônica Mautner e o apresentador e escritor Jô Soares. Além deles, acrescente-se a presença forte da atriz Guta Ruiz dando voz a alguns textos de Lygia. É muita gente falando, mas, no caso, assunto não falta, pois vida e obra de Lygia comportam mesmo tantos comentários e tantos elogios.

Lygia Fagundes Telles: No aniversário de Lygia Fagundes Telles, comemorado em 19 de abril, relembre momentos da vida da grande dama da literatura brasileira, como João Ubaldo Ribeiro se referia à autora de 'Ciranda de Pedra' e 'As Meninas'. Lygia nasceu em São Paulo, em 1923, e é a esperança brasileira no Nobel deste ano - sua candidatura foi apresentada pela União Brasileira dos Escritores TV Cultura exibe documentário sobre Lygia Fagundes Telles

Ponto alto é o relato de sua união com o crítico Paulo Emilio Salles Gomes (morto em 1977), o segundo dos seus casamentos (o primeiro foi com o jurista Goffredo Telles). Cinéfilo, pensador do cinema e criador da Cinemateca Brasileira, Paulo Emilio trouxe Lygia para sua seara. Juntos escreveram o roteiro de Capitu, transcrição de Dom Casmurro, de Machado de Assis, filmado por Paulo César Saraceni. Lygia também trouxe Paulo Emilio para sua arte. Pouco antes de morrer, o crítico estreava na ficção com seu Três Mulheres para Três PPPs. “Eram o Casal 20 da época”, diz um dos entrevistados.

Autora de livros como Ciranda de Pedra, Antes do Baile Verde, As Horas Nuas, Conspiração das Nuvens e As Meninas, entre tantas outros, Lygia é desses escritores que fazem da literatura uma missão. Terra a ser arada a cada dia, sem férias nem feriados, meta além do horizonte a ser perseguida sem descanso. “Lutar com palavras, a luta mais vã”, dizia Drummond, seu amigo. A biografia de um escritor é medida de quanto ele se aproxima do ideal inatingível da expressão completa. Sem ser didático ou completo, o documentário nos dá ideia dessa trajetória de Lygia em sua arte. 

Leia também no MSN Brasil:
'Vade Retro' estreia hoje; saiba quem é quem na série
'Novo Mundo': veja fotos do casamento de Anna
'O Rico e Lázaro': Joaquim se declara para Edissa

Fique por dentro de tudo o que acontece com o App MSN Notícias
Faça o download para Windows, Windows Phone, Android e iOS.

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon