Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Arquipélago de Alcatrazes, em São Sebastião (SP), será aberto para turismo

Logotipo do(a) Viagem em Pauta Viagem em Pauta 14/09/2017 Viagem em Pauta

© Fornecido por Viagem em Pauta

Em nota divulgada, ontem (11 de setembro), o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) tornou pública a notícia que, há muitos anos, turistas aventureiros estavam esperando.

O Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes, em São Sebastião, será aberto para o turismo. Essa unidade de conservação do litoral norte de São Paulo contará com atividades de mergulho recreativo e passeios embarcados para observação da fauna local.

Ainda segundo o instituto, a assinatura da Portaria de Autorização para Visitação em Alcatrazes e acordo de cooperação com a SOS Mata Atlântica acontece amanhã, 13 de setembro, na Delegacia da Capitania dos Portos de São Sebastião, com a presença dos ministros do Meio Ambiente (Sarney Filho) e da Defesa (Raul Jungmann), do presidente do ICMBio (Ricardo Soavinski) e da diretora da SOS Mata Atlântica (Márcia Hirota).

A ideia é que o turismo comece a ser operado no local, no inicio de 2018. Mas, antes disso, empresas de turismo e profissionais autônomos interessados poderão se cadastrar para prestar serviços de visitação no Refúgio.

Para Kelen Luciana Leite, chefe do Núcleo de Gestão Integrada de ICMBio Alcatrazes, a criação do refúgio de Alcatrazes é uma maneira de fortalecer o ecoturismo em destinos do litoral norte paulista, como Ilhabela, Caraguatatuba, Ubatuba, Bertioga, Guarujá, São Vicente e Santos.

VEJA TAMBÉM: “Cinco ilhas brasileiras que você não conhece (e nem vai conhecer)”

Sobre o Arquipélago de Alcatrazes

Criado em agosto de 2016, o Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes tem sua história iniciada, nos anos 90, quando foram iniciadas ações em prol da criação do Parque Nacional Marinho dos Alcatrazes, propondo o aumento da área marinha protegida e a implantação do ecoturismo como opção para o desenvolvimento sustentável regional.

No entanto, atividades turística nunca aconteceram no local, devido à determinação da Marinha do Brasil, que realizava exercícios militares no arquipélago, e às restrições relativas à Estação Ecológica Tupinambás, tipo de unidade de conservação que não permite visitação pública.

© Fornecido por Viagem em Pauta

Juntas, as duas unidades abrigam 1.300 espécies, sendo que 93 delas estão sob algum grau de ameaça de extinção. A região abriga também um dos maiores ninhais do país, como fragatas, atobás e gaivotões.

Estão protegidas em Alcatrazes 259 espécies de peixes, destacando-se a garoupa, o tubarão-martelo, entre outras, e ocorre ainda presença considerável da-tartaruga-de-pente e da tartaruga-verde, ambas ameaçadas de extinção. Há também ocorrência de baleias e golfinhos.

Patrimônio arqueológico, histórico e cultural da região, o arquipélago é conhecido pelos paredões graníticos de 316 metros de altura no meio do oceano e pelas águas com boa visibilidade e grande quantidade de vida marinha.

LEIA TAMBÉM: “Explore as praias selvagens do litoral de São Paulo”

Fonte: ICMBIO

O post Arquipélago de Alcatrazes, em São Sebastião (SP), será aberto para turismo apareceu primeiro em Viagem em Pauta

Este recurso não tem suporte na versão do seu navegador. Recomendamos atualizar para a versão mais recente do Internet Explorer para usá-lo.

Mais de Viagem em Pauta

image beaconimage beaconimage beacon