Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Deixar o destaque da posição 8 (a que está pinned, de Booking) sempre na MESMA POSIÇÃO

Club Med é condenado a indenizar família por falta de neve

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 12/03/2018 Felipe Machado
Ski nos alpes italianos: Segundo os autores da ação, o motivo principal do passeio nos alpes italianos era o de esquiar, pois se tratava "da tradicional e anual" viagem da família para este fim © Getty Images Segundo os autores da ação, o motivo principal do passeio nos alpes italianos era o de esquiar, pois se tratava "da tradicional e anual" viagem da família para este fim

Uma família ganhou na Justiça uma indenização de 31.755 reais por causa da falta de neve em umresort de esqui durante sua viagem. A decisão é do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

O caso aconteceu durante as férias da família no começo de 2016. O casal comprou um pacote de viagem da agência Club Med para levar cinco filhos e uma cuidadora para esquiarem nos alpes italianos. Porém, não conseguiram praticar o esporte porque as pistas estavam fechadas por falta de neve.

Segundo os autores da ação, o motivo principal do passeio era esquiar, pois se tratava “da tradicional e anual” viagem da família para este fim. O casal diz que solicitou à empresa uma hospedagem com serviços relacionados, como escola de esqui para as crianças nas proximidades. E ressaltou que ligaram para o hotel antes da viagem para saber das condições meteorológicas, mas foram informados de que não haveria prejuízo à prática do esporte.

O Club Med argumentou na Justiça que a falta de neve deveria ser considerado como “caso fortuito e de força maior”, ou seja, quando a empresa não tem controle sobre uma determinada situação.

A família perdeu a ação na primeira instância, mas obteve decisão favorável na segunda instância. Os desembargadores entenderam que a falta de neve não pode ser considerada caso fortuito porque essa era uma condição essencial para a prestação do serviço. Também entenderam que a empresa falhou em dar as informações corretamente, ferindo as regras sobre direito dos consumidor.

A Club Med foi condenada a devolver metade do valor gasto (15.775 reais) por danos materiais e a uma indenização de 16.000 reais por danos morais. O casal pediu inicialmente 138.567 reais, mas o tribunal não deu razão a todas as demandas.

Procurada por VEJA, a empresa disse em nota que ainda não há decisão definitiva de mérito, pois a questão será levada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF). “Não há qualquer legislação em vigor que imponha à empresa responsabilidade por garantir condições climáticas especificas para seus resorts”, diz trecho do texto. A companhia afirma que age sempre de acordo com a lei e em respeito aos seus consumidores.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vídeo: Vulcão Shinmoedake entra em erupção no Japão (Via BuzzVideos )

A SEGUIR
A SEGUIR

Este recurso não tem suporte na versão do seu navegador. Recomendamos atualizar para a versão mais recente do Internet Explorer para usá-lo.

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon