Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Deixar o destaque da posição 8 (a que está pinned, de Booking) sempre na MESMA POSIÇÃO

Roteiro na Chapada dos Veadeiros tem cachoeiras, trilhas e pôr do sol

Logotipo do(a) Escolha Viajar Escolha Viajar 2 dias atrás Escolha Viajar

Vista do alto da trilha do Morro da Baleia © Escolha Viajar Vista do alto da trilha do Morro da Baleia

A Chapada dos Veadeiros, localizada em Goiás, tem tantos pontos turísticos para se visitar que é possível montar muitos roteiros para uma viagem até lá. Além do parque nacional, são mais de 30 cachoeiras, trilhas, cavernas, mirantes e outras tantas atrações naturais espalhadas pelas cidades de Alto Paraíso de Goiás, São Jorge e Cavalcanti. Como escolher então o que fazer em um roteiro na Chapada dos Veadeiros em apenas um fim de semana prolongado ou feriadão?

Primeiro, vale a pena ponderar que a Chapada é um destino que vem sendo muito procurado pelos turistas, o que significa que suas atrações mais famosas podem ficar superlotadas nos finais de semana, feriados e meses de férias escolares. É o caso da Cachoeira Santa Bárbara, que muitas vezes tem fila desde às 6h para que os turistas consigam ingresso. O acesso às suas águas azuis é limitado a apenas 20 minutos para que mais gente consiga visitá-la.







Por isso, decidimos fazer uma sugestão de roteiro alternativo na Chapada dos Veadeiros, para que você possa aproveitar os locais que vai visitar mesmo que tenha que enfrentar a superlotação de um feriadão. Não quer dizer que as atrações estarão 100% vazias, mas como elas não são TÃO procuradas e seu acesso é mais distante ou complicado, pelo menos o número de outros possíveis visitantes será suportável, hehe. E todos os lugares são muito, muito bonitos.

Também decidimos montar base em apenas uma cidade, Alto Paraíso, para que não fosse preciso perder tempo com deslocamentos, arrumar e desarrumar mala, fazer check ins e check outs. Confira aqui nossa sugestão de hospedagem econômica e maravilhosa em Alto Paraíso. Como fazer este roteiro pela Chapada dos Veadeiros? Com agência de viagens ou guia particular. O Escolha Viajar fez com a Ecorotas Turismo e recomenda muito.

Nem todas as trilhas que sugerimos são sinalizadas e você não conseguirá encontrar os caminhos sem ajuda. Além disso, um guia vai te auxiliar nos trechos mais difíceis, pois não são caminhadas leves e estão sujeitas a subidas e descidas sobre pedras e até na água. O acesso de carro também não é moleza, sendo que há muita estrada de terra e quase nenhuma placa. Confira o roteiro dia a dia e comece a preparar o coração para as maravilhas naturais da Chapada dos Veadeiros!

Flor típica do cerrado é iluminada pela luz do entardecer na Chapada dos Veadeiros © Escolha Viajar Flor típica do cerrado é iluminada pela luz do entardecer na Chapada dos Veadeiros

Roteiro na Chapada dos Veadeiros – Dia 1

O primeiro dia do roteiro na Chapada dos Veadeiros será dedicado às Cachoeiras dos Anjos e Arcanjos e ao pôr do sol no Mirante Novo Horizonte. E nem é preciso acordar tão cedo assim, saindo de Alto Paraíso por volta das 9h está de bom tamanho. As cachoeiras ficam no Parque Solarion, localizado a 15 km da cidade, sendo 2 com asfalto e 13 de estrada de terra. É preciso pagar R$ 15 para entrar, mas se você estiver com agência, isso já estará incluído no pacote.

A trilha até a queda d’água mais distante tem 1,5 km. Ou seja, são 3 quilômetros de caminhada no total, ida e volta. Depois de 1 quilômetro, a estrada bifurca e você verá a placa de acesso para a Cachoeira dos Anjos na sua direita. O grau de dificuldade da caminhada é fácil até aqui. Mas é melhor seguir primeiro até a Arcanjos, que é mais distante, e depois voltar. Nesse trecho, há uma subida e uma descida íngremes, em meio às pedras. Crianças e sedentários podem ter dificuldades.

Mulher admira a Cachoeira dos Arcanjos © Escolha Viajar Mulher admira a Cachoeira dos Arcanjos

Mas o visual com certeza vai te recompensar. A Cachoeira dos Arcanjos cai numa fenda entre as rochas. O local fica iluminado pelo sol apenas do meio-dia às 14h, por isso não é preciso sair de Alto Paraíso tão cedo para fazer a visita, ou a cachoeira estará na sombra. Depois do banho e fotos, é hora de voltar parte da trilha e pegar o acesso à Cachoeira dos Anjos. A queda é mais alta que a Arcanjos e o local de banho, mais acessível. Mas a água das duas é absurdamente gelada!

De volta ao ponto de partida da trilha, por volta das 15h, é hora do almoço. Quem estiver com agência de turismo ou guia vai comer comida caseira, feita em fogão à lenha em alguma fazenda das redondezas. São refeições deliciosas, que ajudam a economia local e que custam entre R$ 30 e R$ 40. Depois de encher a pança e recuperar um pouco das energias gastas na trilha, é hora de pegar de novo o carro ou van e partir para o pôr do sol.

Cachoeira dos Anjos é atração de roteiro pela Chapada dos Veadeiros © Escolha Viajar Cachoeira dos Anjos é atração de roteiro pela Chapada dos Veadeiros

O Mirante Novo Horizonte é um dos locais para assistir ao entardecer em Alto Paraíso. Fica dentro da cidade, a apenas cinco minutos de carro do centro e o acesso é fácil. O que não quer dizer que a vista seja menos bonita. Lá de cima é possível descortinar a vista para as montanhas, a vegetação típica do cerrado e ver o astro-rei descer no horizonte logo atrás da cidade. O primeiro dia de roteiro na Chapada dos Veadeiros termina aqui.

A noite é livre para sair para jantar ou mesmo ficar apenas descansando na pousada. Para quem quer bater perna na cidade, recomendamos o Vendinha, que fica na avenida principal (Ary Valadão Filho, 787). Eles alegam ter o melhor pastel de Alto Paraíso e temos razões para concordar. O de palmito com pequi é imperdível. Servem também pratos, petiscos, chope e cerveja artesanal da região. O famoso combo dois pastéis + dois chopes sair por menos de R$ 50.

Pôr do sol visto do Mirante Novo Horizonte © Escolha Viajar Pôr do sol visto do Mirante Novo Horizonte

Roteiro na Chapada dos Veadeiros – Dia 2

Acordou com as coxas doloridas depois do primeiro dia de trilhas do roteiro na Chapada dos Veadeiros? Então é melhor tomar um Dorflex porque vem muito mais por aí! A saída da pousada precisa ser feita um pouco mais cedo neste segundo dia, por volta das 8h, para que o almoço não acabe ocorrendo tarde demais. O destino do segundo dia é o imenso e belíssimo complexo das Cataratas dos Couros, localizadas no rio do mesmo nome.

O acesso é feito pela Fazenda Boa Esperança, a aproximadamente 50 km de Paraíso. Mais de 30 km da estrada é de terra e está em péssimo estado de conservação e sem sinalização, o que torna a viagem bem mais longa do que se presume pela distância (são cerca de 1h30 de carro). Neste atrativo, não é preciso pagar nada para entrar. Para chegar à primeira queda d’água, chamada de Cachoeira da Muralha, é fácil. São apenas 800 metros de trilha em descida.

Cachoeira da Muralha é a primeira queda d'água das Cataratas dos Couros © Escolha Viajar Cachoeira da Muralha é a primeira queda d'água das Cataratas dos Couros

Maaaaaaaas… Não é esse o caminho que você vai tomar, hehe. A ideia é percorrer o circuito completo, começando pela última cachoeira e terminando na Muralha. O caminho inicialmente é plano, em meio à bela paisagem do cerrado. Mas o grau de dificuldade da trilha vai aumentando na medida em que você segue em direção ao último cânion. Essa é considerada uma caminhada de dificuldade média e que tem, no total, 4 quilômetros ida e volta.

Mesmo que você opte por não fechar um pacote com agência e decidir fazer este roteiro por conta própria, recomendamos fortemente que contrate um guia para fazer pelo menos esse passeio. Isso porque, além de pesada, a trilha não tem sinalização, o que torna quase impossível que você encontre o mirante final sem a ajuda de um deles. E garantimos que ele vale a pena! Depois da parte plana, você começa a descer até a entrada do desvio para o mirante.

Parte plana da trilha para as Cataratas dos Couros © Escolha Viajar Parte plana da trilha para as Cataratas dos Couros

E é aí que o bicho pega. A descida fica tão íngreme que foram instaladas algumas cordas para o pessoal agarrar e não se estatelar ao escorregar na terra. Depois de tanta descida, você já começa a avistar o impressionante Cânion dos Couros. Só que ainda não acabou. O guia vai te levar para escalar um conjunto de pedras de onde você terá uma visão realmente de tirar o fôlego. Tanto pela beleza quanto pelo cansaço! Mas atenção: o mirante não é acessível na época de chuvas.

Mesmo que você fique exausto da caminhada como nós ficamos, não há como não pensar que valeu cada músculo dolorido. À sua frente, se descortinam três quedas d’água: Parafuso (100 metros de altura), Bujão e o Cânion dos Couros. É lindo de chorar no cantinho. Mas, depois de tanta beleza e de uma boa pausa para fotos e descanso, é hora de pegar o caminho de volta. Toda aquela descida íngreme agora vira uma subida sem fim, teste para as melhores coxas.

Vista do mirante do Cânion dos Couros © Escolha Viajar Vista do mirante do Cânion dos Couros

Após a trilha do mirante, a caminhada fica mais plana. Você vai voltando pela beira do rio, com paradas para banho e para admirar as cachoeiras que viu lá de cima. No fim, chega-se de volta à Muralha, que tem cerca de 20 metros e um bom poço para banho, mas que costuma estar lotada de turistas por causa do acesso mais fácil. Depois do banho e das fotos finais, hora de deixar o complexo e rumar para o almoço. O esquema é o mesmo do dia anterior.

O guia reserva a refeição em um restaurante caseiro de sua preferência nos arredores dos Couros. O custa fica entre R$ 30 e R$ 40. Você deve deixar o complexo por volta das 16h, o que significa que vai poder ver o pôr do sol bem no meio do sacolejante caminho de volta para Alto Paraíso. Assim que o sol se aproximar do horizonte, o carro vai parar em algum campo do cerrado para que se possa admirar o espetáculo. Depois, é só rumar para a cidade.

O segundo dia de roteiro na Chapada dos Veadeiros termina aqui. A noite é livre para sair para jantar ou mesmo ficar apenas descansando na pousada. Para quem quer preservar o que restou de forças nas perninhas, recomendamos jantar ou pedir comida no Zu’s Bistro, que fica logo em frente à pousada que recomendamos para vocês lá no início do texto (Rua das Nascentes, 118). O preço não é tão amigável, mas a comida e o vinho são deliciosos e muito recomendados!

Pôr do sol no cerrado, no caminho de volta das Cataratas dos Couros © Escolha Viajar Pôr do sol no cerrado, no caminho de volta das Cataratas dos Couros

Roteiro na Chapada dos Veadeiros – Dia 3

Mais um dia de roteiro na Chapada dos Veadeiros para acordar cedinho e sair da pousada por volta das 8h. O destino é o incrível complexo de Cachoeiras dos Macaquinhos. O acesso é feito pela Fazenda Santuário das Pedras a 42 km de Alto Paraíso. São 30 km de estrada de terra, então prepare-se para mais uma viagem sacolejante de cerca de 1h30 de carro. Ao contrário do caminho para Couros, este é bem sinalizado e pode-se fazer em carro particular tranquilamente.

Na metade do caminho, vale uma parada no Mirante do Vão do Paranã, de onde se tem uma bela vista da Chapada. Quando chegar a 900 metros da entrada para Macaquinhos, haverá uma placa indicando que você deve estacionar e fazer o resto do trajeto a pé a não ser que esteja em veículo 4 x 4! Não desobedeça, pois o trecho é de areia e você corre sério risco de atolar. Vencidos os 900 metros de descida íngreme, você chega à entrada do complexo. O custo é de R$ 30.

Cachoeira da Caverna, no complexo de Cachoeiras dos Macaquinhos © Escolha Viajar Cachoeira da Caverna, no complexo de Cachoeiras dos Macaquinhos

O complexo é composto por nada menos do que oito cachoeiras nas águas do Rio Macaquinhos, além de alguns poços para banho. A trilha tem uma distância total – ida e volta – de 4 quilômetros, sendo bem sinalizada e de dificuldade média, com alguns trechos de subida e descida não muito íngremes entre pedras. Recomendamos que você siga primeiro até as duas últimas cachoeiras do complexo, que são as mais bonitas, e aproveite para tomar banho e ver as outras na volta.

A penúltima queda d’água se chama Cachoeira da Caverna, que tem esse nome porque existe uma pequena caverna na lateral direita das pedras. Mas esqueça a caverna, pois a atração é mesmo a água muito verde (ou seria azul???) caindo em meio às rochas vermelhas. O poço é bom para banho, mesmo gelado. Depois dela, você ainda pode seguir até a Cachoeira do Encontro. A trilha acaba e o caminho é feito pelas pedras na beira do rio, mas não tem como se perder.

Pôr do sol visto do Mirante Novo Horizonte © Escolha Viajar Pôr do sol visto do Mirante Novo Horizonte

Nessa queda d’água, os rios Macaquinho e Fundão se encontram, formando uma cachoeira de 50 metros de altura. O visual é de tirar o fôlego, mas o local não é tão bom para banho por causa da força da água. Após admirar as duas cachoeiras do fim do complexo, comece o caminho de volta para entrada. Não sem muitas paradas para fotos e para conhecer as demais quedas d’água. Não deixe passar a Cachoeira da Pedra Furada e o Poço do Sereno, excelente para banho (na foto abaixo).

Note que, na volta, você terá que encarar aqueles 900 metros que eram uma descida íngreme, só que como subida íngreme! Após vencê-la, é hora de deixar o complexo e rumar para o almoço. O esquema é o mesmo dos dias anteriores. O guia reserva a refeição em um restaurante caseiro de sua preferência nos arredores. O custa fica entre R$ 30 e R$ 40. Você deve deixar o complexo por volta das 16h para encarar o sacolejante caminho de volta para Alto Paraíso.

O terceiro dia de roteiro na Chapada dos Veadeiros termina aqui. Recomendamos fortemente que você vá para a cama o mais cedo possível, pois o dia seguinte vai começar ainda antes do amanhecer. Então é melhor encomendar uma pizza, comida da Zu ou pastel e levar para comer na pousada mesmo, com as cansadas perninhas para cima. É a noite ideal para aproveitar a rede na varanda e ficar admirando o céu absurdamente estrelado da Chapada…

Complexo de Cachoeiras dos Macaquinhos é atração imperdível na Chapada dos Veadeiros © Escolha Viajar Complexo de Cachoeiras dos Macaquinhos é atração imperdível na Chapada dos Veadeiros

Roteiro na Chapada dos Veadeiros – Dia 4

No último dia de roteiro na Chapada dos Veadeiros, é preciso acordar muito cedo. A saída da pousada ocorre por volta das 4h30 e tem como destino a trilha do Morro da Baleia. Essa é uma caminhada que pouquíssima gente já fez ou conhece, e que contamos aqui em primeira mão para vocês. Com seus 1.500 metros de altura, o Morro da Baleia reina como cartão-postal do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Ele pode ser visto pela GO-239, que liga Alto Paraíso a São Jorge.

Mas chegar até lá em cima – ou pelo menos ao topo do ‘rabo’ da baleia – não é tão simples. Este é outro passeio para o qual recomendamos fortemente que você contrate um guia ou agência, principalmente se quiser assistir ao amanhecer lá de cima. A trilha é acessada por estrada de terra e fica a menos de 20 minutos do centro da cidade. No total, são cerca de 3 quilômetros ida e volta. Lá em cima, a caminhada é de nível fácil.

Amanhecer visto do alto da trilha do Morro da Baleia © Escolha Viajar Amanhecer visto do alto da trilha do Morro da Baleia

Mas para chegar lá, é preciso encarar 600 metros de subida muito íngreme (que na volta vira descida muito íngreme). E, se você optar por seguir este nosso roteiro na Chapada, no escuro total! A caminhada inicial é feita com luz de lanternas e celulares. Não é fácil, mas, particularmente, achamos menos pesada que o mirante do Cânion dos Couros. Uma vez no topo da Baleia, você terá cerca de meia hora para admirar o céu muito estrelado da Chapada.

Por volta das 6h15, o céu começa a se colorir de vermelho e o você poderá assistir de camarote ao espetáculo do amanhecer. Qualquer dificuldade da subida será instantaneamente apagada de sua memória diante de tanta beleza! E ainda não acabou. Depois que o sol sobe, é hora de retomar a trilha até o outro lado do morro, de onde se descortina uma vista impressionante do parque nacional e do Jardim de Maytrea, do qual voltaremos a falar logo mais.

Paisagens maravilhosas podem ser vistas ao longo da trilha do Morro da Baleia © Escolha Viajar Paisagens maravilhosas podem ser vistas ao longo da trilha do Morro da Baleia

A descida é feita já com o sol das 10h queimando no lombo. De volta à cidade, você terá o almoço e o início da tarde livres para dar uma volta na cidade e comprar suas lembrancinhas de viagem. Cochilos na rede (ou na cama) também estão liberados, hehe. Por volta das 17h, é hora de embarcar no carro novamente para o último pôr do sol deste roteiro na Chapada dos Veadeiros. O local de destino é o já citado Jardim de Maytrea.

Embora fique dentro do parque nacional, é possível admirá-lo por um acesso na GO-239, que liga Alto Paraíso a São Jorge. Você verá muitos carros estacionados no acostamento, não tem como errar. Os visitantes podem circular à vontade, respeitando o limite da cerca. Mas não é preciso ir além para se deliciar com a visão do campo de buritis cercado por montanhas. Tudo fica ainda mais lindo com as cores rosadas do entardecer. Para fechar com chave de ouro!

Jardim de Maytrea é um dos cartões-postais da Chapada dos Veadeiros © Escolha Viajar Jardim de Maytrea é um dos cartões-postais da Chapada dos Veadeiros

Este recurso não tem suporte na versão do seu navegador. Recomendamos atualizar para a versão mais recente do Internet Explorer para usá-lo.

Mais de Escolha Viajar

image beaconimage beaconimage beacon