Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Benfica, Porto, Sporting, Primeira Liga, Liga dos Campeões, Cristiano Ronaldo, Mourinho

“Gritei com ele e dei um murro na mesa. Guardiola tem pouca autoestima, vive obcecado com a ideia de perder o poder e a autoridade”

Logótipo de Tribuna Tribuna 13/03/2018 Expresso

Hans-Wilehlm Muller-Wohlfahrt foi médico do Bayern Munique durante 38 anos, até ao momento em que uma discussão com Pep Guardiola, então treinador dos bávaros, o fez bater com a porta.

Muller-Wohlfahrt, conhecido por práticas pouco convencionais (injeções com sangue de vaca, de cabra e com extrato de mel, por exemplo) dedicou parte da sua autobiografia à relação agreste que manteve com Guardiola.

Tribuna: “Gritei com ele e dei um murro na mesa. Guardiola tem pouca autoestima, vive obcecado com a ideia de perder o poder e a autoridade” © A. Beier “Gritei com ele e dei um murro na mesa. Guardiola tem pouca autoestima, vive obcecado com a ideia de perder o poder e a autoridade”

“Guardiola tem pouca autoestima, vive com o receio constante de perder o peder a autoridade. Ele via-me como um subordinado a quem podia recorrer a toda a hora. Ele esperava milagres do meu trabalho”, cita o “Bild”, que teve acesso a alguns trechos do livro de Muller-Wohlfahrt.

“Perdi a cabeça. Gritei com ele e dei um murro na mesa com tanta força que os copos e os pratos tremeram. Não podia aceitar que um treinador que tinha tantos anos de vida como eu de profissão não valorizasse a minha opinião”.


Veja também: Rita Pereira comemora 36 anos no "paraíso"

A SEGUIR
A SEGUIR

O último ‘jogo’ de Muller-Wohfhart, curiosamente, foi o 1-3 no estádo do Dragão, contra o FC Porto, na primeira mão dos quartos de final da Champions, em 2014/15.

AdChoices
AdChoices

Mais do Tribuna

image beaconimage beaconimage beacon