Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bruno de Carvalho reagiu à suspensão com anedota

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/08/2017 Ana Proença

O presidente do Sporting considera "ridículo" o castigo a que foi condenado.

O presidente do Sporting publicou esta quinta-feira no Facebook uma mensagem em resposta aos seis meses de suspensão a que foi punido por causa do chamado "Caso do Túnel"

Bruno de Carvalho usou a alegoria e figuras de estilo como a metáfora, a ironia e o sarcasmo para deixar os seus recados ao Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol:

"Existem coisas no desporto que me fazem lembrar uma anedota:

Um jovem foi para Coimbra estudar direito. Os pais, pessoas humildes e de poucas posses, fizeram um grande esforço financeiro para o conseguir.

Passados 6 meses, o jovem, conhecido na Universidade como "Escuteiro-Mirim", escreveu uma carta aos pais dizendo que queria deixar de estudar para ser poeta. E, para o demomstrar, escreveu-lhes um poema: o céu ai que belo, ai que belo! O mar, ai que belo, ai que belo! O ca...mpo ai que belo ai que belo!

Os pais ao lerem a carta ficaram muito desiludidos e decidiram responder ao filho também em forma de poema:

© Pedro Rocha / Global Imagens

Meu filho, tantos anos a estudar para colher tamanho fruto, ai que bruto, ai que bruto!"

A finalizar a mensagem, Bruno de Carvalho ainda deixou esta mensagem: "Eu sou do tempo em que o ridículo era algo a ser evitado, não um objetivo a ser atingido".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon