Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Concerto no Dragão começou cedo e teve bis no final

Logótipo de Zerozero.pt Zerozero.pt 14/12/2017 Gaspar Castro
Concerto no Dragão começou cedo e teve bis no final © Rogério Ferreira / Kapta+ Concerto no Dragão começou cedo e teve bis no final

Dezembro é altura de balanços para as equipas, tendo em vista eventuais mudanças, seja a nível de plantel ou a nível técnico, mas pela primeira vez em vários anos o FC Porto chega à época festiva com enorme confiança no que toca à luta pelos grandes objetivos. Se é verdade que a liderança é partilhada, os oitavos da Champions estão garantidos e, agora, também os quartos da Taça de Portugal o estão. Vergado no Dragão, perante uma goleada por 4x0, ficou o Vitória SC, finalista vencido da última edição que agora se ficou pelos oitavos de final.

Abou a faturar, Danilo a fazer por isso...

O desgaste causado pelas muitas competições sentiu-se um pouco, e destacaram-se em particular as muitas mexidas na equipa vitoriana para este encontro. Assistimos a bom futebol durante boa parte da partida, mas o mérito pertenceu em grande parte à equipa de Sérgio Conceição, que conseguiu reduzir o nível de ameaça do Vitória SC aos mínimos com o gradual passar do tempo.

A primeira parte não teve um ritmo muito acelerado e as ocasiões que surgiram deveram-se com alguma frequência a erros posicionais na defesa do Vitória, embora com mérito portista pela forma como soube tomar conta do encontro desde cedo. O Vitória até prometia no contra-ataque, mas não passava da promessa à concretização. O FC Porto, por sua vez, só não construiu uma vantagem maior no primeiro tempo porque não calhou. Danilo Pereira teve duas ocasiões de ouro para marcar, mas em ambas acertou no ferro de Miguel Silva: a primeira num desvio de cabeça, a segunda num remate em posição de ponta-de-lança.

Entre os momentos de Danilo houve também muito para contar, com natural destaque para o único golo do primeiro tempo, que nasceu num erro de Victor García. O lateral venezuelano precipitou-se num lance que parecia estar controlado e tocou a bola com o braço. Aboubakar chegou-se à frente, enviou a bola para o centro da baliza, Miguel Silva caiu para a direita e assim se abria o marcador no Dragão.

No que toca ao lado do Vitória SC, destacou-se um cabeceamento de Hélder Ferreira na grande área pouco depois, mas a bola saiu por cima da baliza de Casillas. De resto, houve um remate de perigo de Aboubakar já perto do intervalo, sem deixar a bola cair ao chão e a fazê-la sobrevoar a baliza vitoriana.

...até conseguir

⏰17' FC Porto [1]-0 V. Guimarães, Taça

⭐️Top 3 + golos na Europa (top 6 ligas):
25 🇺🇾Edinson Cavani [17 Liga, 6 Champions]
21 🇵🇱Lewandowski [15 Liga, 3 Champions, 2 Taça, 1 Supertaça]
21🇨🇲Aboubakar [12 Liga, 5 Champions, 4 Taça] pic.twitter.com/5MDYnXYlNi

— playmakerstats (@playmaker_PT) 14 de dezembro de 2017

À terceira é de vez, diz o ditado, e assim foi para Danilo Pereira. O 22 portista, que em duas ocasiões fizera estremecer os ferros, insistiu na busca de momentos de finalização em bolas paradas e assim surgiria o segundo golo dos dragões.

Algum tempo depois de um cabeceamento de Aboubakar por cima, a cruzamento de Maxi Pereira, apareceria então mais uma vez a cabeça de Danilo, na sequência de um canto de Alex Telles. Desta vez a bola foi direta ao local certo. Ou seja, ao fundo das redes.

Um bis para encerrar

A partir daí, tudo ficou ainda mais simples para os portistas. O Vitória não apresentava uma ameaça tão séria como se poderia prever e o terceiro golo pairava. Danilo Pereira tentou fazer novamente o gosto ao pé, com um remate de longe que Miguel Silva desviou, mas seria um suplente utilizado, André André, a ampliar o resultado até aos 4x0 final.

Primeiro, e pelos 64', o médio encostou para o 3x0, na recarga a um remate de Aboubakar e na sequência de um detalhe magnífico de Héctor Herrera. Já nos últimos dez minutos, apareceu a desviar ao primeiro poste na sequência de um canto, com o último toque antes da finalização a pertencer a Soares. Foi o primeiro bis de André André ao serviço do FC Porto.

Assim se fez mais um capítulo de uma primeira metade de temporada que vai deixando água na boca dos adeptos portistas. A luta pelo Jamor, pelo menos para os dragões, está bem viva. Já para o Vitória... acabou-se a história.

AdChoices
AdChoices

Mais do Zerozero.pt

image beaconimage beaconimage beacon