Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Diego Costa desafia o Chelsea: “Não vou deixar que façam de mim besta. Treinar com a equipa de reservas é uma falta de respeito”

Logótipo de TribunaTribuna 18/08/2017 Expresso
Diego Costa fez 22 golos em 42 jogos pelo Chelsea de Antonio Conte na época 2016/17: Diego Costa desafia o Chelsea: “Não vou deixar que façam de mim besta. Treinar com a equipa de reservas é uma falta de respeito” © IAN KINGTON Diego Costa desafia o Chelsea: “Não vou deixar que façam de mim besta. Treinar com a equipa de reservas é uma falta de respeito”

O avançado foi dispensado pelo treinador mas rejeitou regressar para ir treinar com a equipa de reservas e diz que só quer ir para o Atlético de Madrid

O aviso já tinha sido feito por Ricardo Cardoso, advogado de Diego Costa: “Vamos acionar todos os mecanismos legais para responsabilizar o Chelsea pelo seu comportamento, viabilizando a saída de Diego Costa. Vamos fazer um pedido de transferência formal”.

A razão? Antonio Conte. “Quando [Diego Costa] já se encontrava ao serviço da seleção e antes de viajar para o Brasil para desfrutar das férias foi dispensado por SMS, pelo treinador Antonio Conte, sem que nenhum responsável do Chelsea tivesse dado a entender que não contaria com o melhor marcador da equipa nos últimos três anos", explicou o advogado, há duas semanas.

Agora, é o próprio Diego Costa a contar a história. E a garantir que não regressa ao clube enquanto não resolverem a situação. “Acho que foi falta de respeito. Não estou a deixar de ser profissional. Acho que o respeito tem de prevalecer acima de tudo. Sempre tive o carinho dos meus companheiros, sempre nos demos super bem. Não houve motivo para treinar com a equipa de reservas. Foi isso que eu deixei claro", explicou o avançado, em entrevista ao ESPN Brasil.

"Já que não me permitem treinar com a equipa principal, porque o treinador não me quer, não iria voltar até resolverem minha situação. E deixei claro que a equipa para a qual gostaria de ir, se eles não me quiserem mais, é o Atlético de Madrid", acrescentou.

Diego Costa diz não entender por que razão é que o clube não resolve a sua situação. "As pessoas do clube que me ligaram foi para me dar mais umas semanas de férias para eu não ter contato com o treinador, porque [a equipa principal] ia ficar uma semana a treinar e depois ia viajar para a Ásia", explicou. Depois, foi chamado para treinar, mas com os reservas. "Disse que isso era uma falta de respeito porque até então fiz uma temporada muito boa. Ganhámos a Liga e não fiz nada tão grave para ser tratado dessa maneira".

Os problemas com Conte

O avançado espanhol de 28 anos, que saiu do Atlético de Madrid em 2013/14 precisamente para o Chelsea, garante que quer resolver o problema de forma amigável, mas se tal não for possível... "Tenho todas as mensagens, inclusive a do treinador, bem guardadas até para [usar] se um dia eles tentaram ir por esse lado jurídico, que não tem que ser necessário. Até porque todo mundo aí dentro gosta de mim. Eu tenho tudo guardado. Se um dia tiver que usar, usarei. Como falei: nunca quis o mal de ninguém, mas não vou deixar me fazerem de besta e sair os outros como bom moço e eu como o mal moço. Tenho as mensagens aqui. A mensagem que foi enviada do treinador para mim eu eu depois enviei para diretora Marina. Ela quer resolver a situação e estou na espera de que se resolva também".

Questionado sobre a razão da dispensa, Costa explicou as dificuldades na relação com o treinador. "Acho que várias coisas. Houve um primeiro momento quando ele chegou em que eu disse que tinha vontade de voltar para a Espanha. Não vou mentir. Era algo que sentia por causa da [dificuldade] de adaptação. Eu amava o Chelsea, mas a Inglaterra, Londres, o idioma, não me adaptava", começou por dizer.

"Pode ser que seja isso, não sei. Ou por conta do meu caráter, o meu e o dele não batem. Particularmente acho que pode ser tudo isso. Eu acho que as coisas não precisavam ser assim. Eu não tenho mágoa nenhuma. Acho que as coisas podiam ser tratadas de outra maneira. Eu acredito que quanto mais as coisas correrem bem para o Chelsea mais fácil será para eu sair. Acho que tem de perguntar-lhe ele e não a mim por que razão não estou".

Para já, o impasse está no valor da possível transferência do jogador, explica o próprio, assim como na vontade dele - que não vai para qualquer sítio. "O Chelsea ofereceu-me a vários clubes. Só que fui bem claro com eles. Disse que, já que não faço parte dos planos do treinador, eu quero eleger o meu destino. Para eles ganharam mais dinheiro, não vou deixar que eles decidam o meu destino. Até porque quando eu vim para o Chelsea eles pagaram um valor bem abaixo em relação a proposta que está chegando agora. Acho que eles têm de ser conscientes e ver tudo que eu fiz. Não é culpa mim eu não estar aí. Se fosse por mim, eu estaria a jogar."

O melhor do MSN em qualquer dispositivo


"Ele ia descendo a rua e atropelando as pessoas"

A SEGUIR
A SEGUIR


AdChoices
AdChoices

Mais do Tribuna

image beaconimage beaconimage beacon