Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Uma história feita à medida de Jonas

Logótipo de Zerozero.pt Zerozero.pt 10/03/2018 Rodrigo Coimbra
Uma história feita à medida de Jonas © Carlos Alberto Costa Uma história feita à medida de Jonas

O Benfica continua na perseguição ao líder FC Porto. Os encarnados tiveram algumas dificuldades para desatar o nó, frente a um Aves muito seguro no encontro, mas amarraram os três pontos nos últimos 20 minutos. Jonas - que fez história - abriu o caminho para a baliza de Adriano e Rúben Dias deu mais cor à vitória encarnada, que deixa os tetracampeões nacionais, à condição, a três pontos do líder da Liga.

Dificuldades de parte a parte no último terço

Benfica e Aves estavam obrigados a mexer na equipa base para o encontro da 26.ª jornada. Se os encarnados não podiam contar com o castigado Pizzi, já o emblema avense estava privado de Carlos Ponck e Arango, jogadores com muitos jogos esta temporada, mas que não viajaram com a equipa até Lisboa por estarem cedidos pelo tetracampeão nacional.

João Carvalho entrou para o miolo e teve algumas dificuldades de entrosamento com os companheiros de posição – Fejsa e Zivkovic -, assim como de entendimento com a linha de três homens mais avançados. No lado contrário, Jorge Fellipe fez esquecer um pouco a ausência de Ponck. Mas vamos ao jogo propriamente dito.

O primeiro tempo não ofereceu grandes situações de perigo, diga-se em rigor da verdade, embora o Benfica tenha estado muito mais afoito nos lances ofensivos do que o adversário. O Aves recorreu muitas vezes ao remate de meia distância, assim que encontrava uma brecha para a baliza de Varela, e tentou tirar o maior proveito dos lances de bola parada – Jardel ainda enviou uma bola ao ferro da própria baliza, que causou algum pânico na Luz, mas o lance foi prontamente anulado por pretenso fora de jogo de Diego Galo. Sem resultados.

Por seu lado, os encarnados aproveitavam o bom momento de Rafa Silva para criar desequílibrios pelo corredor, contudo Jonas esteve muito escondido e foi difícil o internacional português combinar com o avançado brasileiro, melhor marcador da presente edição da Liga NOS.

O empate ajustava-se ao intervalo, sobretudo por aquilo que as duas equipas (não) fizeram de relevante no primeiro tempo. Era preciso mais para desatar o nó.

Jonas abre latas

O empate deixava o Benfica numa situação muito delicada na corrida pelo título e os encarnados perceberam isso ao intervalo. As águias surgiram muito mais focadas e mais pressionantes no segundo tempo e conseguiram criar dificuldades junto à área contrária. O Aves conseguiu aguentar as investidas da equipa de Rui Vitória durante os primeiros 25 minutos, mas não teve capacidade para prolongar muito mais tempo esse momento.

Depois de três oportunidades flagrantes, encetadas por André Almeida, Rafa e Zivkovic, e também de uma perdida incrível de Paulo Machado, o Benfica conseguiu furar a muralha defensiva da equipa de José Mota. Por quem? Jonas, está claro. E a fazer história!

O avançado brasileiro tornou-se no jogador mais velho a marcar 31 golos na Liga e abriu caminho para o triunfo do tetracampeão nacional. Fejsa rematou para grande defesa de Adriano, que não conseguiu segurar a recarga. O mesmo aconteceu quatro minutos depois, mas com outros protagonistas.

O recém-entrado Raúl Jiménez enviou um míssil à baliza do Aves, Adriano defendeu, mas não segurou a recarga de Rúben Dias. O golo trouxe maior tranquilidade à equipa da casa e atirou por terra as esperanças do Aves em sair da Luz com pontos.

Com este resultado, o Benfica segue na luta pelo título, enquanto o Aves mantém-se a escassos pontos da linha de água.

Receba as melhores notícias do MSN



Veja também: A melhor jogada de Coentrão nos últimos 5 anos, dizem em Espanha

A SEGUIR
A SEGUIR

AdChoices
AdChoices

Mais do Zerozero.pt

image beaconimage beaconimage beacon