Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Área Metropolitana do Porto promove inquéríto sobre alterações climáticas

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/07/2017 Administrator

A Área Metropolitana do Porto (AMP) está a promover um inquérito junto da população sobre alterações climáticas para realizar um diagnóstico dos riscos que são "percebidos e valorizados" pelos habitantes, nas suas áreas de residência.

Este inquérito decorre até ao final de agosto e insere-se no projeto "METROCLIMA -- Adaptação Às Alterações Climáticas na AMP: Conhecer, Planear, Comunicar, Antecipar", disse hoje à Lusa fonte da AMP.

A par do inquérito à população sob o título "Tem 10 minutos para nos dizer o que mais o preocupa relativamente às alterações climáticas", a AMP está a promover um outro questionário institucional, junto das 17 autarquias da região e presidentes das juntas de freguesia.

Os questionários, acrescentou a fonte, "cumprem diversas funções", servindo para "ajudar a elaborar o diagnóstico dos riscos climáticos locais percebidos e mais valorizados pelos indivíduos, sobretudo na sua área de residência", mas também para "envolver as pessoas na identificação dos problemas e a corresponsabilizarem-se nas soluções que vierem a ser encontradas".

O objetivo principal desta iniciativa é "criar as raízes de um processo que conduz a um plano metropolitano de adaptação às alterações climáticas na AMP compreendido por todos e de que todos se apropriem".

Para a AMP, só envolvendo a população, os investigadores, os planeadores e decisores políticos no processo de construção de soluções será possível garantir a criação do plano, bem como depois elaborar as estratégias municipais de adaptação às alterações climáticas.

No âmbito do Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial 2020, a AMP definiu tornar-se fundamental "acautelar as condições de apoio aos riscos decorrentes das alterações climáticas e implementar medidas de maior adaptação".

"Assim, é crucial dotar a proteção civil de mais e melhores meios de combate e prevenção", lê-se no documento.

Já a Estratégia Integrada de Desenvolvimento Territorial da AMP refere que, "em matéria de adaptação aos efeitos das alterações climáticas" a região, no seu contexto europeu, "está inserida num cenário claramente grave em matéria de impactes, demonstrando uma fraca capacidade de adaptação às mesmas", o que significa "que a AMP evidencia um forte potencial de vulnerabilidade às alterações climáticas".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon