Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Índia quer progressos expeditos na exploração de gás natural em Moçambique

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/10/2017 Administrator

O ministro do Petróleo da Índia quer ver progressos expeditos no projeto de exploração de gás natural da Área 1, ao largo do norte de Moçambique, disse hoje o governante.

"Encontrei-me com a ministra da Energia de Moçambique e concordámos em tornar expedito o nosso projeto de desenvolvimento de gás, em que companhias indianas investiram cerca de 6,5 mil milhões de dólares", referiu Dharmendra Pradhan.

A declaração foi feita através das redes sociais (Twitter), com fotos do encontro com a ministra moçambicana, Letícia Klemens, em Tóquio, onde decorre uma conferência internacional sobre gás natural liquefeito (LNG).

Uma fonte da OVL, braço da empresa petrolífera estatal indiana para operações no exterior, é citada pela agência de notícias PTI, referindo que o consórcio da Área 1 "está a trabalhar para chegar a uma decisão final de investimento o mais rapidamente possível".

"Foi também incorporada a firma Mozambique LNG1 Company Pte, com sede em Singapura, para supervisionar atividades de marketing e transporte a partir de dois ramais do campo Golfinho-Atum" de exploração de gás, acrescentou.

Entretanto, os parceiros estão a conduzir negociações para converter intenções de compra de gás em contratos efetivos, acrescentou a mesma fonte.

O consórcio espera angariar entre 12 e 15 mil milhões de dólares através de financiamento, concluiu.

A OVL detém 16% de participação no bloco 'offshore' de Moçambique da Área 1 do Rovuma - liderado pela norte-americana Anadarko (26,5%).

Ainda neste bloco, a Oil India tem 4% de participação, enquanto uma unidade da Bharat Petroleum Corp, também controlada pelo estado indiano, detém outros 10% de participação.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon