Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Óbito/Medina Carreira: Mário Centeno diz que "inconformismo" foi "exemplo de vida"

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/07/2017 Administrator

O ministro das Finanças, Mário Centeno, destacou hoje a "coragem", a "determinação" e o "rigor" de Medina Carreira, que morreu na segunda-feira aos 86 anos, apontando os seus "inconformismo" e "espírito de ação" como "exemplos de vida".

Numa declaração escrita enviada à agência Lusa, Centeno diz lamentar "profundamente" a morte do antigo ministro e salienta a "coragem" que demonstrou ao "assumir a pasta das finanças num momento que se sabia difícil para o país".

Elogiando "a determinação e o rigor que empreendeu em todas as decisões que tomou", Mário Centeno lembra que Henrique Medina Carreira "foi o ministro que negociou o primeiro empréstimo do FMI [Fundo Monetário Internacional], com a sabedoria de procurar o melhor caminho para Portugal".

"Desta experiência todos herdámos um profundo conhecedor do sistema financeiro e tributário português que sempre colocou o seu conhecimento ao serviço do país", considera o atual titular da pasta das Finanças, recordando Medina Carreira como "um assumido crítico da política portuguesa" cujo "inconformismo e o espírito de ação" são "exemplos de vida."

Henrique Medina Carreira, antigo ministro das Finanças do I Governo Constitucional, morreu na segunda-feira num hospital em Lisboa, onde estava internado há cerca de um mês.

Nascido em Bissau em 14 de janeiro de 1931, Henrique Medina Carreira era nos últimos anos uma das vozes mais acutilantes em relação às opções políticas e em particular à estratégia financeira do país, que governou no I Governo Constitucional.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon