Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

“Assim que me adiantei, decidi que ia dar tudo para a vitória” – Miguel Oliveira

Logótipo de LusaLusa 29/10/2017 João Pedro Simões
JOE CASTRO/AAP © EPA / JOE CASTRO JOE CASTRO/AAP

Sepang, Malásia, 29 out (Lusa) – O português Miguel Oliveira (KTM) assumiu hoje ter mudado de estratégia durante o Grande Prémio da Malásia de Moto2, que venceu, ao decidir atacar após se ter adiantado aos rivais no Mundial de motociclismo de velocidade.

Miguel Oliveira assegurou hoje o terceiro lugar na classificação final de pilotos em Moto2, ao conquistar o seu segundo triunfo consecutivo, uma semana depois de vencer pela primeira vez na classe intermédia, na Austrália.

Em Sepang, o piloto natural de Almada destacou-se desde início e cumpriu as 19 voltas ao circuito em 40.28,955 minutos, impondo-se ao sul-africano Brad Binder (KTM), segundo a 2,387 segundos, e ao italiano Franco Morbidelli (Kalex), terceiro, a 6,878, que celebrou o título mundial.

“A estratégia inicial não era descolar, sabia que o Franco [Morbidelli] tinha um bom ritmo - o [Brad Binder] também - por isso o plano era manter-me atrás dele, mas assim que vi que consegui adiantar-me um pouco nas primeiras voltas decidi que ia dar tudo para a vitória. Não me poupei, isso é certo, e consegui mais uma grande vitória para a equipa, estou extremamente orgulhoso”, afirmou o português, citado pela sua assessoria de comunicação.

Esta foi a oitava subida ao pódio do almadense em Moto2 – já tinha uma vitória, dois segundos lugares e quatro terceiros – e o oitavo triunfo em todas as categorias, depois das seis vitórias em Moto3, em 2015.

Após 17 das 18 provas do Mundial, Oliveira já garantiu um lugar no pódio final do Mundial, ao somar 216 pontos, mais 26 do que o espanhol Alex Márquez, quarto.

Morbidelli, depois de assegurar o seu primeiro título mundial, vai chegar a Valência, palco da última corrida, em 12 de novembro, com 288 pontos, mais 45 do que o suíço Thomas Luthi (Kalex), que ficou relegado ao segundo lugar ao não alinhar na corrida malaia, na sequência da queda sofrida nos treinos e que provocou uma fratura no pé esquerdo.

JP // JP

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon