Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Açores criam apoio de dez mil euros para novas empresas criadas em incubadoras

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Administrator

O Governo dos Açores vai lançar em agosto um apoio de dez mil euros para empresas criadas há menos de um ano nas incubadoras da região, para financiamento de serviços jurídicos, financeiros e de consultadoria, foi hoje anunciado.

"É um apoio a que se podem candidatar no primeiro ano de atividade e consiste num apoio adicional, além dos sistemas de incentivos já existentes, de dez mil euros por empresa, que visa apoiar as empresas nas suas despesas de início de atividade, nomeadamente no âmbito do apoio jurídico, do apoio financeiro, da consultadoria de gestão e da consultadoria de marketing", adiantou o vice-presidente do Governo Regional.

Sérgio Ávila falava em declarações aos jornalistas à margem de uma visita à "Startup Angra", incubadora de empresas de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

O "vale incubação", financiado por fundos comunitários, não tem limite de candidaturas e deverá estar disponível "a partir do próximo mês", depois de ser publicado o aviso no portal Portugal 2020.

O executivo açoriano vai também abrir candidaturas para as empresas que pretendam prestar serviços às empresas em fase de incubação.

"Vamos criar uma bolsa de empresas que podem prestar esse serviço, devidamente certificadas, para assegurar que esse serviço é prestado com qualidade", adiantou o vice-presidente.

Atualmente, os Açores têm quatro incubadoras de empresas a funcionar, três de base local, em Angra do Heroísmo, Praia da Vitória e Nordeste, e uma de base regional, no parque de ciência e tecnologia Nonagon, na Lagoa.

No entanto, o Governo Regional pretende ter até ao final desta legislatura, em 2020, "12 incubadoras de base local, três de base regional e três de base tecnológica".

"O objetivo destes espaços é o apoio à criação de novas empresas em setores que nós consideramos estratégicos para o desenvolvimento da região, quer seja no setor industrial, particularmente agroalimentar, quer no turismo, nos serviços e noutras áreas", salientou Sérgio Ávila.

Nas quatro incubadoras já criadas nas ilhas de São Miguel e Terceira estão instaladas fisicamente 35 empresas, além das que trabalham em 'cowork' ou que têm uma ligação à incubadora sem presença física.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon