Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Açores divulgam Europa junto dos alunos através de contos

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/10/2017 Administrator

O Governo Regional dos Açores vai promover a cidadania europeia junto dos alunos do primeiro ciclo, através de sessões de contos dos vários países da União Europeia, que percorrerão todos os concelhos do arquipélago até 2018.

O projeto "Conta-me outros contos" arranca esta quinta-feira na Biblioteca Municipal da Madalena, na ilha do Pico, e é dinamizado pelo ator e contador açoriano Valter Peres, que reuniu um sortido de histórias da Europa, que incluem dois a três contos de cada país.

"São contos, lendas, mitos de cada um dos países. Há países muito recentes. Há uma disparidade grande em termos de tradição oral", adiantou, em declarações à Lusa.

O ator, natural da ilha Terceira, vai passar por todas as bibliotecas dos Açores e por outros locais de interesse, atuando sobretudo para alunos do 1.º e 2.º anos do primeiro ciclo do ensino básico, mas também para idosos, em sessões intergeracionais.

Não havendo tempo para dar a conhecer todas as histórias dos 28 estados membros, caberá ao público escolher alguns países e, apesar de muitos contos se cruzarem, Valter Peres espera que as escolhas permitam mostrar histórias menos conhecidas.

"A Alemanha tem uma imensidão de histórias de tradição oral. Algumas nós conhecemos, sobretudo dos Grimm. Mas há outros países mais recentes que têm lendas e mitos da sua constituição e da sua ancestralidade", salientou.

Para o contador, através da tradição oral é possível dar a conhecer a cultura de cada país, de uma forma que capta mais a atenção em públicos desta idade.

"Neste caso, não é tanto o conto que está em causa, mas esta noção de cidadania europeia e de pertença a esta multiculturalidade e a esta paleta de cores de países da qual fazemos parte e que têm todos eles uma cor diferente e uma forma de fazer diferente. Isso é uma vantagem, não uma desvantagem", frisou.

Contador de histórias há quase duas décadas, Valter Peres considera que o truque para captar a atenção de um público tão pequeno como o que terá pela frente está na voz, mas a experiência do teatro também o ajuda.

"Os públicos para os contos são sempre, no meu entender, fáceis e agradáveis. Os ritmos é que são diferentes. Para 2º e 3º anos, as histórias de encantar são mais complicadas, porque são histórias muito grandes, mas tudo vai da voz do contador", adiantou.

Até ao final de 2017, o projeto "Conta-me outros contos" percorrerá as ilhas do Pico, Terceira, São Miguel e Santa Maria, chegando no próximo ano a São Jorge, Faial, Graciosa, Flores e Corvo.

Para além das sessões infantis e intergeracionais, serão realizados serões de contos para adultos nas ilhas de São Miguel e Terceira.

A iniciativa insere-se no programa "Cidadania Europeia -- A Europa para os Açorianos", promovido pelo gabinete do secretário regional adjunto da Presidência para as Relações Externas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon