Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

A mão cheia de juniores que reforça o FC Porto B

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/06/2017 Alcides Freire

FC Porto avança com o processo de promoção dos que mais se destacaram nos juniores

António Xavier (Avançado, 18 anos, Portugal) - Foi o melhor marcador dos juniores portistas, com 18 golos. É alto (1,82 metros) e uma das esperanças dos dragões, no seguimento das apostas em André Silva e Rui Pedro © Fornecido por O jogo António Xavier (Avançado, 18 anos, Portugal) - Foi o melhor marcador dos juniores portistas, com 18 golos. É alto (1,82 metros) e uma das esperanças dos dragões, no seguimento das apostas em André Silva e Rui Pedro

Com o final do campeonato de juniores no fim de semana passado, o FC Porto avança agora com o processo de promoção dos que mais se destacaram para a equipa B, o primeiro escalão profissional e a antecâmara da formação principal. Há cinco jogadores que já sabem que sobem à equipa que, em 2017/18, continuará a ser orientada por António Folha: Diogo Dalot (se não for transferido antes), Oleg Reabciuk, Rui Pires, Ayoub e Xavier. Todos indiscutíveis na formação de sub-19, vão agora ter a primeira experiência a tempo inteiro no futebol profissional, ainda que Dalot, Rui Pires já por lá tenham passado, de forma mais ou menos regular.

Rui Pires, o capitão dos juniores, foi quem mais jogou: 15 vezes, com 1004 minutos de utilização, primeiro com Luís Castro, depois com Folha. Alto, posicional e bom no passe, o médio-defensivo é uma das maiores esperanças para os próximos anos. Também é capitão da seleção portuguesa de sub-19 e vai ao Europeu, em julho, o que reforça a qualidade que todos, na estrutura, lhe reconhecem.

Dalot não precisa de muitas palavras. Dele já se disse que é a maior das pérolas dos escalões de formação do FC Porto. O lateral-direito somou 270 minutos (três jogos) na equipa B, mesmo estando no primeiro ano de júnior. Apesar de, em 2017/18, poder continuar no escalão, a promoção a tempo inteiro é uma certeza. Já os outros, nunca jogaram pelos "bês", mas já foram chamados a vários treinos e estão familiarizados com os métodos do treinador. Xavier é o que conhece Folha há menos tempo, pois só no verão de 2016 foi contratado à Académica.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon