Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Acordo com credores e ajuda do FMI ditam evolução do 'rating' de Moçambique - S&P

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/08/2017 Administrator

A agência de notação financeira Standard & Poor's (S&P) disse hoje que uma melhoria na avaliação do 'rating' de Moçambique depende da reestruturação da dívida, dos contornos da ajuda do FMI e da avaliação da economia real.

"Podemos subir o 'rating' das emissões de dívida em moeda estrangeira quando o incumprimento financeiro for resolvido, dependendo das condições de um programa prospetivo do Fundo Monetário Internacional (FMI), do resultado das negociações entre o Governo e os detentores dos títulos de dívida e da nossa avaliação sobre os efeitos do contágio do 'default' à economia real", diz a S&P.

Na ação de 'rating' hoje divulgada, na qual são mantidas todas as opiniões de crédito, os analistas da S&P dizem considerar que "o FMI vai provavelmente ligar um novo pacote de ajuda financeira a medidas tomadas pelo Governo para melhorar a governação e a transparência, no seguimento da auditoria da Kroll à dívida".

Para a S&P, será este retomar, "juntamente com a finalização de uma análise sobre a sustentabilidade da dívida pelo FMI, que vai alicerçar os termos de uma possível reestruturação sobre os títulos de dívida" emitidos em 2016, com maturidade em 2023, no valor de 727 milhões de dólares, e sobre os quais Moçambique entrou em incumprimento financeiro a 18 de janeiro, quando falhou o pagamento da prestação de quase 60 milhões de dólares.

Ao longo de todo o relatório, a S&P afirma por diversas vezes que não tem um calendário previsto ou previsível sobre a renegociação do pagamento da dívida pública emitida em moeda estrangeira, nem sobre o resultado dessas negociações.

A maioria dos analistas tem considerado que um acordo com os credores internacionais só será alcançado quando Moçambique conseguir convencer o FMI a retomar a ajuda financeira, suspensa na sequência da divulgação, no ano passado, dos empréstimos escondidos no valor de 1,4 mil milhões de dólares.

Na ação de 'rating' hoje divulgada, a S&P manteve o 'rating' para a dívida em moeda externa de Moçambique em 'Incumprimento Seletivo' e também manteve a dívida emitida em meticais abaixo da recomendação de investimento.

A perspetiva de evolução ('Outlook') para as emissões de dívida em meticais mantém-se Estável, o que significa que "não é previsível que haja uma melhoria na avaliação da dívida interna nos próximos 12 meses", enquanto as emissões em moeda externa, os chamados 'eurobonds', não têm uma previsão de evolução porque são um facto - o incumprimento financeiro - e não uma avaliação da capacidade do emissor para pagar aos credores.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon