Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Adeus a William é "bluff" do West Ham

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/08/2017 Alcides Freire
© Miguel Pereira/Global Imagens

Posições extremaram-se, com dirigente do West Ham a declarar à Sky Sports: "Tornou-se demasiado caro e às vezes temos de dizer "não"." Leões julgam que não passa de uma jogada negocial.

As negociações entre West Ham e Sporting pela transferência de William para o emblema inglês pareciam ter caído num impasse comprometedor e ontem conheceram novo, e porventura decisivo, capítulo: os hammers fizeram saber o seu plano de intenções de encerrar as conversações e desistir de tentar contratar o dono da camisola 14 verde e branca, campeão europeu por Portugal. A uma semana do fim do mercado de transferências, contudo, não será improvável que o processo conheça novos desenvolvimentos até ao final de quinta-feira, dia 31, data irreversível até à reabertura do mercado, a 1 de janeiro. Essa é, de resto, a leitura feita em Alvalade: a posição dos hammers não passa de "bluff".

citacaoIngleses não vão além dos 37 milhões de euros propostos, leões não abdicam dos 45 milhões pretendidos. O braço de ferro vai continuar

"Simplesmente, ele tornou-se um jogador demasiado caro e, às vezes, temos de dizer "não"", disse um dirigente do West Ham, em declarações reproduzidas pelo portal da Sky Sports, na notícia que ontem dava conta do "colapso" das negociações por William. O braço de ferro prolonga-se há já três semanas, com alguns desenvolvimentos até estagnar no impasse verificado até à pedrada no charco ontem dada pelos ingleses. Os responsáveis do emblema de Londres não vão além dos 37 milhões de euros já propostos, a SAD presidida por Bruno de Carvalho mantém-se irredutível nas condições pretendidas: 45 milhões, repartidos em duas tranches (20 no imediato, o restante em janeiro). Há, assim, um fosso de oito milhões de euros a separar as pretensões de ambos os clubes, que agora extremam posições. Os hammers ameaçam deixar cair o negócio; em Alvalade, a convicção é de que esta é uma manobra para pressionar os leões, que mantêm firme a sua posição. O mercado encerra na próxima quinta-feira, dia 31. William ainda é processo a acompanhar.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon