Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ahamada é opção para a baliza do Benfica

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/07/2017 Rui Trombinhas

Vieira deu ordem para atacar a contratação de Svilar, do Anderlecht, mas as águias não estão paradas. Com apenas mais um ano de contrato, o titular da equipa turca pode ver facilitada a sua saída. Nome do guarda-redes do Kayserispor foi apresentado na Luz, onde já está referenciado desde 2014

© Benoit Tessier

Ali Ahamada está, segundo O JOGO apurou, a ser analisado pelos gestores do Benfica como eventual solução para reforçar a baliza em 2017/18. Atualmente ao serviço do Kayserispor, o guardião de 25 anos é um nome referenciado na Luz até pelo facto de terminar contrato daqui a um ano, situação que pode facilitar as negociações com o conjunto turco tendo em vista a sua contratação.

Sem Ederson, transferido para o Manchester City a troco de 40 milhões de euros, os responsáveis encarnados apontam o reforço de opções para a baliza como prioritário, uma vez que consideram Júlio César insuficiente para enfrentar a longa temporada e procuram uma alternativa capaz de concorrer pela titularidade. Tal como O JOGO revelou, Mile Svilar, guardião de apenas 17 anos do Anderlecht, é visto pelos gestores do futebol das águias como uma aposta capaz de responder não só no futuro mas já no imediato, razão pela qual Luís Filipe Vieira deu ordem para se avançar para a sua contratação. Porém, e tendo em conta as dificuldades naturais para convencer o conjunto belga a libertar um guarda-redes a quem muitos apontam um futuro brilhante, o campeão nacional não está parado à espera do sucesso das negociações com o Anderlecht, avaliando o mercado em busca de outras opções. E Ahamada foi, sabe O JOGO, apresentado ao Benfica, que já o conhece bem, pois é um nome no horizonte desde 2014. Então ainda no Toulouse, o internacional pelas Comores - tem também nacionalidade francesa, tendo chegado a ser internacional sub-21 por aquele país - estava a terminar contrato, razão pela qual as águias tentaram garantir o seu contributo a pensar em 2014/15. O negócio não se concretizou e o Benfica avançou mais tarde para Júlio César.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon