Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Alex Telles: "O FC Porto está a armar-se para o título"

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/06/2017 Hugo M. Monteiro

Fez 45 jogos, marcou um golo e ofereceu dez: são estes os números que levam o lateral a considerar que realizou uma grande temporada. A fácil adaptação ao clube e ao país foi determinante.

Alex Telles acredita que 2016/17 foi a melhor temporada da sua carreira a nível pessoal e apontou os números que conseguiu - jogos, assistências e a inclusão no melhor onze do campeonato - para o justificar, mas lamentou a ausência de títulos. "Foi o que faltou", sublinhou ao "Pioneiro Esportes", do Brasil. Consciente do ciclo negativo que o Dragão atravessa, o lateral-esquerdo acredita que na próxima temporada o cenário será outro. "O clube está a armar-se para o título", garantiu.

citacaoTer sido o melhor lateral-esquerdo do campeonato português foi muito bom, depois de já ter sido o melhor no Brasileirão, mas faltou o títuloesquerda

© Fabio Poço/Global Imagens

Feito o balanço individual do primeiro ano no FC Porto, Alex Telles projetou a próxima temporada, que acredita vá ser de sucessos. "Ganhar o título, que foi o que faltou. Ter sido o melhor lateral-esquerdo do campeonato português foi muito bom, depois de já ter sido o melhor no Brasileirão, mas faltou o título. O clube está a armar-se para isso", considerou, sem falar na saída de Nuno Espírito Santo do comando técnico da equipa.

Noutro registo, o brasileiro contou como viveu os jogos grandes do campeonato português, contra o Benfica e o Sporting. "Um clássico tem sempre muita adrenalina. Perdi uma vez (Sporting em Alvalade)", referiu.

citacaoEstava concentrado no jogo e esqueci-me do primeiro cartão

Na Liga dos Campeões, prova em que se estreou ao serviço do FC Porto, o lateral recordou aquela expulsão frente à Juventus. "Era a partida mais importante e acabei expulso em dois minutos, mas foi um caso à parte na minha carreira. Serviu para aprender. A partir dali fiquei focado no campeonato e não voltei a ver um cartão amarelo. Acredito que não foi por acaso, foi uma lição para mim. Estava concentrado no jogo e esqueci-me do primeiro cartão. Acabei por pagar por isso ao não conseguir mostrar o meu futebol num grande jogo. Mas aprendi", garantiu.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon