Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Alexandra Lucas Coelho convoca passado de Portugal no primeiro livro para a infância

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/10/2017 Administrator

A escritora Alexandra Lucas Coelho publica esta semana "Orlando e o rinoceronte", o primeiro livro que escreveu para a infância, convocando o passado colonial com o qual Portugal tem ainda dificuldade em lidar, disse à agência Lusa.

"Orlando e o rinoceronte" é protagonizado por um rapaz de oito anos que recebe um postal do pai com a representação de um rinoceronte. É o ponto de partida para Orlando ouvir do tio Tristão, a viver no Brasil, a história verídica, trágica e marítima, da viagem de um rinoceronte no tempo dos Descobrimentos.

De acordo com Alexandra Lucas Coelho, a história deste livro surgiu quando escrevia o romance "Deus-dará", de 2016, no qual um dos protagonistas é Tristão, tio de Orlando.

A pesquisa levou-a à história de um rinoceronte, oferecido em 1514 a Afonso de Albuquerque, vice-rei da Índia, que causou espanto em Lisboa e morreu num naufrágio quando foi recambiado para Roma. Essa viagem serviu de pretexto para a autora abordar o passado colonial português e relacioná-lo com Orlando.

"Portugal ainda tem dificuldades em lidar com esse passado colonial", afirma a escritora, sublinhando que é importante poder falar dele de uma outra maneira, que não está inscrita na habitual narrativa histórica sobre os Descobrimentos, sobre o esclavagismo ou sobre o colonialismo.

"O que vamos fazer com o passado muda as coisas, muda o presente e muda o futuro. (...) É importante saber que [Portugal] foi a maior potência esclavagista, isso faz parte da nossa história", defendeu Alexandra Lucas Coelho.

Em "Orlando e o rinoceronte", a autora assinalou essa ligação com o passado através da caracterização de Orlando. Filho de mãe ruiva e pai com carapinha, o rapaz possui uma farta cabeleira laranja, onde transporta a história dos antepassados.

O livro, editado pela Alfaguara, inaugura uma série a que a autora pretende dar continuidade, com mais histórias de Orlando. O próximo volume, planeado para a primavera de 2018, passar-se-á na Guiné-Bissau.

Segundo a autora, a ideia é fazer uma série de livros que lidem "com a vida, com a família, com o passado, com questões de género, tanta coisa que pode ainda ser contada para crianças".

"Orlando e o rinoceronte" conta ainda com ilustrações da própria escritora, ainda que admita um "medo de desenhar". São ilustrações mais sugestivas do que complementares ao texto, feitas com recurso a colagens, recortes, desenho e sobreposições.

"Eu queria que os leitores pudessem imaginar o seu rinoceronte. Hoje em dia as crianças estão completamente cercadas de imagens, vídeos, fotografias e quis que o livro fosse mais sugestivo, por isso deixei para o fim a imagem do rinoceronte", disse.

Alexandra Lucas Coelho trabalhou na rádio e na imprensa e publicou oito livros, entre romance e cadernos de viagens, nomeadamente "E a noite roda", "Deus-dará", "Cadernos afegão" e "Viva México".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon