Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Alguém me impõe que A ou B tem de jogar? Era o que faltava"

Logótipo de O Jogo O Jogo 30/05/2017 Ana Proença
© Filipe Amorim / Global Imagens

Rui Vitória afirmou, esta terça-feira, em entrevista à SIC, nunca ter chegado a nenhum clube "com a vida facilitada", tendo no Benfica também precisado de uma fase de adaptação.

Interrogado sobre Jorge Jesus e a troca de comentários mais azedos que marcou a sua entrada no Benfica e a mudança de Jesus para Alvalade, respondeu: "É um treinador de um clube adversário que faz o seu trabalho da forma que pensa, que sabe. Diz o que entende e eu faço o meu trajeto. Nada mais do que isto. Cada um percorreu o seu trajeto e eu só me foquei no meu trabalho e não me desgastei com coisas acessórias".

O treinador campeão nacional também evitou críticas ao que encontrou quando chegou à Luz para suceder Jorge Jesus: "Foi a herança que houve. Ao passar de cada clube que fui treinando, nunca entrei num clube com a vida facilitada. No Benfica foi uma herança com determinadas características. Houve uma fase de adaptação, mudam personalidades".

Rui Vitória garantiu que no Benfica ninguém lhe impõe nada com a qual não concorde. "Alguma vez alguém me impõe que A ou B tem de jogar? Era o que faltava. Que eu me tenha apercebido, não. Sou a pessoa mais aberta para se conversar sobre futebol, mas depois percebendo claramente os espaços que cada um ocupa e até onde cada um pode ir", afirmou.

"Eu sou assim. Ninguém me impõe nada que eu não concorde. A minha forma de estar é esta, olhar para as coisas de forma positiva. Drama já nós temos em determinados momentos da vida e temos de ultrapassar. Sou um privilegiado", acrescentou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon