Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Aliança Europeia de Agências Noticiosas apela a libertação de jornalista ucraniano detido na Rússia

Logótipo de O Jogo O Jogo 29/09/2017 Administrator

A direção da Aliança Europeia de Agências Noticiosas (EANA) voltou a apelar hoje à libertação do jornalista ucraniano Roman Sushchenko, detido na Rússia há um ano, caso não sejam apresentadas provas concretas que justifiquem a sua prisão.

Em comunicado assinado pelo sueco Jonas Eriksson, presidente da EANA e responsável da agência noticiosa sueca TT News, e pelo secretário-geral da organização Erik Nylen, e divulgado pela agência noticiosa ucraniana Ukrinform, os dois responsáveis voltam a manifestar "preocupação pela detenção do jornalista ucraniano Roman Sushchenko".

O texto recorda que "em 30 de setembro de 2017 cumpre-se um ano desde que foi detido numa visita à Rússia, com as autoridades russas a acusá-lo de espionagem. Uma acusação que sempre negou".

O comunicado exorta as autoridades russas a "divulgarem mais detalhes que expliquem a detenção de Roman Sushchenko" e defende que, "caso não sejam imediatamente apresentadas provas evidentes contra ele, deve ser libertado e permitido o regresso ao seu país natal".

A EANA emitiu uma declaração semelhante em 03 de outubro de 2016, após a confirmação da detenção de Sushchenko.

Fundada em 1956, a EANA integra atualmente 30 agências noticiosas na Europa, incluindo a Lusa. A Ucrânia está representada neste organismo pela Agência nacional de notícias ucraniana (Ukrinform), admitida como membro em 1995.

Roman Sushchenko é jornalista da Ukrinform desde 2002, e era correspondente da agência em França desde 2010.

Em 30 de setembro de 2016 foi detido em Moscovo, onde se encontrava em visita privada, indica a EANA.

O jornalista foi indiciado por "espionagem" em 07 de outubro. Os serviços de informações russos (FSB) referiram que Sushchenko era membro da agência de informações do ministério da Defesa ucraniano. Sushchenko sempre negou esta alegação.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon