Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Alive: The XX e Alt-J renovaram relação afetiva com o público português

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

Os britânicos The XX e Alt-J mataram saudades do público português na quinta-feira no festival NOS Alive, no Passeio Marítimo de Algés (Oeiras), onde já tinham atuado anos antes, renovando a ligação afetiva com os fãs.

Em edições anteriores, ambos tinham tocado em palcos mais pequenos, regressando agora ao festival para ocuparem o palco maior, onde foram recebidos de forma esfusiante por milhares de espetadores.

"Adoramos tanto esta cidade que até fizemos cá um festival e não vínhamos cá há algum tempo", disse Oliver Sim, vocalista e baixista dos The XX, depois de terem desfiado muitos dos êxitos, como "Crystalised", "Islands" e "Say something loving", do recente álbum "I see you", motivo da atual digressão.

Recebido com gritos, telemóveis erguidos, muita gente encavalitada em ombros e a trautear até as melodias da guitarra de Romy Croft, o grupo agradeceu a receção calorosa e admitiu que adora atuar festivais, feitos para serem divertidos.

Antes, estiveram no palco principal os britânicos Alt-J, pela terceira vez no festival e também eles fãs confessos de Portugal.

"Nós adoramos mesmo Portugal", disse a dada altura Joe Newman, o guitarrista e vocalista.

Apesar de terem editado já este ano "Relaxer", o alinhamento do concerto foi feito dos três discos. Com o público a acolher com especial entusiasmo temas do disco de estreia, "An Awesome Wave" (2012), como "Taro", "Breezeblocks" ou "Matilda", este acompanhado em coro.

O prémio do concerto mais rock coube ao norte-americano Ryan Adams, que está em digressão com o álbum "Prisoner", editado em fevereiro, e atuou para uma plateia mais atenta do que expansiva

Num final de tarde, que prometia chuva, mas que se desanuviou, os portugueses You Can't Win Charlie Brown aproveitaram o concerto no palco principal do Nos Alive para apresentarem temas de "Marrow", editado no final do ano passado.

"Não têm noção do prazer que é estar aqui a tocar para esta gente toda", partilhou Afonso Cabral, um dos vocalistas do grupo, com o público, que ao final da tarde já enchia o espaço em frente ao palco principal.

Entre os portugueses que atuaram na quinta-feira no NOS Alive, destaque também para Miguel Araújo, que por duas vezes (às 20:20 e às 21:40) sobrelotou o exíguo palco Fado Café.

A agência Lusa e dezenas de outras pessoas tentaram, sem sucesso, ver e ouvir o músico portuense.

Com o calendário da campanha eleitoral ainda a algumas semanas de distância, foi ainda possível ver no festival alguns dos candidatos à câmara municipal de Oeiras: Paulo Vistas, o atual autarca, e Isaltino Morais, ambos em candidaturas independentes.

O primeiro dia do 11.º festival NOS Alive terá ainda atuações que se prolongarão pela madrugada, nomeadamente com o canadiano The Weeknd -- um dos nomes mais esperados pelo público -, Bonobo, Glass Animals e Batida.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon