Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Amazon revê projetos com Weinstein devido ao escândalo de assédio sexual

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/10/2017 Administrator

A Amazon anunciou na quarta-feira estar a repensar os seus projetos com a The Weinstein Company devido ao escândalo de assédio sexual envolvendo o cofundador da produtora Harvey Weinstein.

O chefe de comunicações da Amazon Entertainment, Craig Berman, afirmou que a empresa encontra-se atualmente a rever opções para as produções com a The Weinstein Company, cujo conselho de administração despediu, no domingo, o influente produtor de Hollywood de 65 anos.

A série "The Romanoffs", escrita e realizada por Matthew Weiner; e o drama, ainda sem título, com os atores Robert De Niro e Julianne Moore como protagonistas, de David O. Russell, figuram entre as produções que podem estar em risco.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos anunciou, por seu lado, também na quarta-feira, uma reunião para discutir as alegações de que é alvo o conhecido e influente produtor de Hollywood e as eventuais ações a tomar.

Num comunicado, citado pelos 'media' especializados, a Academia de Hollywood qualifica de "repugnante", "abominável" e "antiética" a conduta de Harvey Weinstein que tem vindo a ser descrita, revelando que "o conselho de administração vai realizar uma reunião especial no sábado, dia 14, para discutir as acusações contra Weinstein e as ações que [as mesmas] mereçam por parte da Academia".

Entre as possibilidades em cima da mesa figura a de uma eventual expulsão do produtor da organização, da qual é membro há mais de duas décadas, à semelhança do que fez a Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA) que anunciou na quarta-feira a suspensão imediata de Harvey Weinstein.

O alegado comportamento de Weinstein tem sido alvo de uma série de condenações públicas de múltiplas personalidades do mundo cinematográfico, como as atrizes Meryl Streep, Kate Winslet, Judi Dench e Jennifer Lawrence, que colaboraram profissionalmente com o fundador da produtora e distribuidora Weinstein.

O escândalo de assédio sexual foi exposto pelo The New York Times na semana passada. Segundo a investigação do jornal nova-iorquino, as queixas de assédio sexual remontam à década de 1990, mas desde que estalou o caso têm-se sucedido denúncias.

Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie figuram como as atrizes mais recentes a confirmarem episódios de um comportamento dúbio por parte do produtor galardoado com um Óscar pela produção de "A Paixão de Shakespeare" (1998).

Três outras mulheres, incluindo a atriz italiana Asia Argento, terão acusado Weinstein de as violar, num artigo publicado 'online' pela revista norte-americana The New Yorker. Um representante do magnata negou, contudo, com veemência as alegações, num comunicado dirigido à revista.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon