Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Amnistia Internacional denuncia tortura de suspeitos do Boko Haram nos Camarões

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/07/2017 Administrator

Um novo relatório da Amnistia Internacional fez hoje saber que mais de 100 pessoas foram torturadas pelas forças de segurança dos Camarões nos últimos quatro anos por suspeitas de envolvimento com o grupo terrorista Boko Haram.

A organização de defesa dos direitos humanos denuncia que estas práticas se tornaram uma rotina e são executadas com total impunidade, frequentemente com poucas ou nenhumas provas que justifiquem as detenções.

O Governo dos Camarões não reagiu ao relatório.

O Boko Haram está ativo há oito anos, começou por estabelecer-se na Nigéria, mas as suas atividades expandiram-se à região norte dos Camarões, onde os atentados suicidas são agora frequentes.

A atividade terrorista do grupo salda-se em mais de 20 mil mortos na Nigéria e países vizinhos.

A Amnistia Internacional indica que o grupo extremista matou mais de 1.500 civis no extremo norte dos Camarões desde 2014.

Os Camarões, o Chade e o Níger participam com soldados numa força internacional constituída para combater o Boko Haram.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon