Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

André André recorda experiência negativa em Espanha e o salto em Guimarães

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/04/2017 Hugo M. Monteiro

Médio do FC Porto falou sobre a decisão de assinar pelo Deportivo da Corunha e recordou o regresso ao Varzim

Deportivo da Corunha: "Havia essa possibilidade e achei boa. Estava com muita vontade de ir e experimentar novas coisas, mas cheguei lá e vi que aquilo não era para mim. Adorei a cidade, mas fui para a equipa B e a distância para a equipa principal era muita. Reparei logo nisso. Sou de ideias fixas e quando vejo que uma coisa não está bem fico a pensar enquanto não fizer a coisa certa, nesse caso era voltar. Não estava ali a fazer nada. Felizmente voltei para o Varzim. Foi uma forma de evoluir e de saber que nem tudo é fácil".

© Fábio Poço / Global Imagens

Regresso ao Varzim: "Voltei para o Varzim e nesse meio ano infelizmente descemos à II Liga. Fiz os três primeiros jogos, fiz uma fissura na tíbia e só joguei o último depois. O clube abriu-me as portas quando precisei e fiquei lá na IIB para ajudar à subida. E foi o que aconteceu".

Salto para o V. Guimarães e estreia na I Liga: "Foi contra o Sporting. Empatámos 0-0. Ao princípio estava ansioso, mas penso que correu bem. Chegámos à final da Taça e ganhámos ao Benfica".

Conquistar a Taça frente ao Benfica: "Chegar à I Liga era um objetivo, jogar num clube grande como o Vitória era outro e depois chegar à final da Taça e ganhá-la, o primeiro título do Vitória, com aqueles adeptos... Não sei, foi uma coisa que jamais irei esquecer. Faltam-me outros tantos para alcançar o meu pai".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon