Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

André Cardoso fora do Tour devido a EPO

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/06/2017 Hugo M. Monteiro

De acordo com a UCI, o português, de 32 anos, foi alvo de um controlo fora de competição a 18 de junho e que revelou a presença de eritropoietina (EPO)

O ciclista português André Cardoso teve um resultado anómalo num controlo antidoping fora de competição, anunciou hoje a União Ciclista Internacional (UCI), que suspendeu preventivamente o corredor da Trek-Segafredo.

De acordo com a UCI, o português, de 32 anos, foi alvo de um controlo fora de competição a 18 de junho, levado a cabo pela Fundação Antidoping do Ciclismo e que revelou a presença de eritropoietina (EPO).

André Cardoso pode pedir a análise da amostra B, embora fique provisoriamente suspenso, o que impede a sua participação na Volta a França (01 a 23 de julho), para a qual estava convocado pela sua equipa e em que deveria assumir papel de relevo no apoio ao espanhol Alberto Contador nas etapas de montanha.

Em comunicado, a Trek-Segrafredo anunciou que suspendeu de imediato o corredor de Gondomar (Porto), ao abrigo da sua política de tolerância zero em matéria de doping.

© DR

André Cardoso, que se juntou à equipa de Alberto Contador este ano, tem sido o mais regular corredor português nas grandes voltas nos últimos anos, embora esta fosse a sua primeira experiência no Tour.

Desde 2012, o trepador português (1,68 m e 56 kg) participou em quatro edições da Volta a Espanha e três da Volta a Itália, nunca ficando abaixo do 25.º lugar no conjunto dos resultados. As suas melhores classificações nestas sete corridas foram a 14.ª posição no Giro de 2016 e a 16.ª na Vuelta de 2013.

André Cardoso iniciou a carreira na equipa de Paredes e, depois de ter sido 'rei' da montanha na Volta a Portugal em 2007, rumou ao Tavira em 2009, desempenhando papel determinante nas vitórias de David Blanco (2009 e 2010) e Ricardo Mestre (2011) na principal prova portuguesa.

Nesta última foi segundo classificado, antes de se transferir em 2012 para a equipa espanhola Caja Rural, num processo de internacionalização que o levou em 2014 ao mais alto escalão do ciclismo profissional, o World Tour, permanecendo três anos na estrutura sucessivamente denominada Garmin-Sharp e Cannondale, para este ano se juntar à Trek-Segafredo.

Com apenas uma vitória profissional, obtida numa etapa da Volta a Portugal em 2011, André Cardoso representou Portugal nos Jogos Olímpicos Pequim2008 e Rio2016, participando na prova de fundo de ciclismo de estrada.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon