Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Angola descobriu menos 30% de recursos petrolíferos em 2016

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/07/2017 Administrator

Angola fez descobertas de novos recursos petrolíferos equivalentes a 1.507 milhões de barris de petróleo em 2016, uma quebra de 30 por cento face às novas reservas encontradas em 2015, segundo dados da concessionária estatal Sonangol.

De acordo com informação da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), liderada pela empresária Isabel dos Santos, a atividade de sondagem e exploração, em 2016, resultou em descobertas de 831 milhões de recursos de óleo e 3.067 biliões de pés cúbicos de gás, perfazendo um total de 1.507 milhões de barris de óleo equivalente, em recursos descobertos.

As descobertas foram feitas em dois campos (Zalophus-1 e Golfinho-1) do bloco 20/11 (operado pela Cobalt e que integra ainda a Sonangol e a BP), mas em comparação com o ano de 2015 representam um acréscimo de 300 milhões de barris de petróleo bruto e uma quebra de 6.425 mil milhões de pés cúbicos de gás.

"Perfazendo menos 669 milhões de barris de óleo equivalente", reconhece a Sonangol, no seu relatório e contas de 2016.

Angola produziu 630.113.030 barris de petróleo bruto em 2016, equivalente a uma média diária de 1.721.620 barris, o que representa uma quebra de 3% face ao total do ano anterior, justificada pela Sonangol com a paragem de produção, programada, num campo do bloco 17, durante 35 dias, com perdas estimadas de 210.000 barris por dia.

"À qual se acresce o declínio natural dos campos e paragens não programadas de algumas instalações devido a problemas operacionais", escreve ainda a Sonangol.

A petrolífera estatal angolana refere que em 2016 não foi concluída a perfuração de qualquer poço de avaliação petrolífera, tendo sido realizados 52 poços de desenvolvimento e sondagem.

Em 2015, Paulo Jerónimo, administrador executivo da Sonangol para a Exploração e Produção de Hidrocarbonetos, que há precisamente um ano foi nomeado presidente da comissão executiva da petrolífera, esclareceu à Lusa que as reservas de petróleo em Angola estavam então avaliadas entre 3,5 mil milhões de barris (categoria de provada) e 10,8 mil milhões de barris (categoria de provável).

O resultado líquido consolidado da Sonangol em 2016 foi de 13.282 milhões de kwanzas (70,5 milhões de euros), uma quebra de 72% face ao exercício de 2015, "como resultado de uma diminuição nos resultados financeiros e nos resultados de filiais e associadas", reconhece a petrolífera, no seu relatório e contas.

Já o EBITDA consolidado (resultado operacional isento de impostos e amortizações) atingiu em 2016 os 525.266 milhões de kwanzas (2.788 milhões de euros), um crescimento de 36% em termos homólogos, ainda de acordo com a Sonangol.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon